1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Dia da Mentira prejudica economia alemã, diz estudo

Pegadinhas de 1º de abril geram efeito negativo na produtividade, alerta a Sociedade Alemã de Pesquisa em Economia. Mercado de ações também pode entrar em estado caótico. O Dia da Mentira deveria, então, ser abolido?

O Dia da Mentira, comemorado nesta sexta-feira (01/04) em diferentes países, é uma tradição muito contemplada na Alemanha. No entanto, para o desgosto dos bem-humorados, um estudo mostra que a data tem trazido cada vez mais problemas para economia.

"O 1º de Abril tem afetado a economia deste país de forma significativa", adverte Hartmut Schneider, da Sociedade Alemã de Pesquisa em Economia (DGW, na sigla em alemão). Para o especialista, "o governo deveria considerar seriamente proibir as pegadinhas" caso não queira ficar no vermelho.

Em pesquisa publicada pela DGW nesta sexta-feira, Schneider reuniu mais de 2,5 mil pegadinhas do Dia de Mentira dos últimos 227 anos, e as confrontou com o desempenho da economia no 1º de abril de cada um dos anos. "Meus estudos começam em 1789", conta ele.

Naquela ocasião, um jornal de Berlim publicou que pedras de granizo do tamanho de ovos de pombo estavam caindo na cidade de Potsdam. "Milhares de pessoas não foram trabalhar. Isso afetou de forma extremamente negativa a produtividade de muitos negócios e, por consequência, a economia alemã como um todo", diz Schneider.

A experiência continuou se repetindo regularmente no passado recente. Em 2011, uma estação de rádio local espalhou que o Departamento Alemão de Veículos Motorizados (KBA) de Flensburg, responsável por rastrear os pontos de carteiras de motorista, distribuiria 60 mil pontos dedutíveis num sorteio, em comemoração aos 60 anos do órgão.

Em consequência, os telefones do escritório do KBA não tiveram paz por três dias seguidos. "Várias centenas de funcionários foram impossibilitados de se concentrar em seu horário de trabalho normal", conta Schneider.

O medo de ser vítima de uma pegadinha do Dia da Mentira, por si só, faz com que a produtividade dos funcionários caia maciçamente nessa data, afirma Sabine Weiler, porta-voz do Instituto de Economia da Renânia Vestfália (RWI, na sigla em alemão).

"Para que a economia não seja comprometida mais do que o necessário, nós defendemos que o Dia da Mentira seja transferido para o primeiro domingo de abril. Dessa forma, os danos à economia seriam mais restritos", afirma Weiler.

O mercado de ações também pode ficar em condições caóticas por conta do 1º de Abril, dizem especialistas em bolsas de valores. Em 2015, a montadora americana Tesla anunciou um novo "modelo W" de carro e, em frações de segundo, as ações da empresa subiram 0,75%.

Especuladores que apostam na queda dos preços podem facilmente fazer com que uma brincadeira de 1º de Abril leve ações ao colapso, afirma o especialista em mercado de ações Dirk Möller, em entrevista à DW.

"O Dia da Mentira dá vazão a rumores e manipulações. Esse é um risco incalculável, e que não é nem plausível de punição caso as ações desabem", explica Möller.

Motivando funcionários

Há, por outro lado, organizações como o Instituto Heinz-Werner-Meyer (HWMI) que são favoráveis ao Dia da Mentira. Num estudo publicado por eles também nesta sexta-feira, os pesquisadores sugerem que as pegadinhas têm motivado cada vez mais os funcionários das empresas.

"O 1º de Abril prova que as pessoas entendem a diversão e o ambiente de trabalho fica muito mais descontraído", garante Kurt Winkler, pesquisador do HWMI.

Para o próximo ano, tanto a DGW quanto o HWMI prometeram realizar novas pesquisas, que serão publicadas em 1º de abril de 2017.

Se você leu até aqui, avisamos que esta notícia é uma pegadinha de 1º de abril, brincadeira comum na imprensa alemã.

Leia mais