DIÁLOGO DE SÃO PETERSBURGO 2008 | Escreva sua opinião, comentários, críticas ou sugestões | DW | 11.10.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

DIÁLOGO DE SÃO PETERSBURGO 2008

Diálogo de São Petersburgo, terrorismo, crise financeira, Christiane F., aquecimento global e meio ambiente foram os temas comentados por nossos usuários esta semana. Confira aqui. Vale a pena!

default

Segurança jurídica, respeito aos direitos e deveres individuais e coletivos e a noção de accountability nas relações institucionais de que o Estado participe são pressupostos de validade de um diálogo honesto e que permita fazer negócios a longo prazo. Para que o diálogo possa prosseguir, é preciso superar a desconfiança do "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço", e isso requer um esforço contínuo de reafirmação dos valores acima propostos. [...]

Lyndon C. Storch Jr.

TERRORISMO: É CERTO CRIMINALIZAR AÇÕES PREPARATÓRIAS?

Sim. Criminalizar a preparação é ao mesmo tempo prevenir, na medida em que o terrorismo tem se tornado um fenômeno global de grandes riscos à manutenção da paz e da segurança internacionais. A preparação de um ato terrorista é um processo complexo que abrange diversas ações como, por exemplo, proselitismo ideológico, levantamento de recursos humanos e materiais, elaboração estratégica e treinamento, além da obtenção de apoio político e financeiro.

A ONU, em sua firme resolução de condenar o terrorismo em todas as suas formas, apesar de ainda não haver uma definição consensual clara do que é o terrorismo, tem freqüentemente recomendado ao países-membros a adoção de medidas capazes de conter o avanço do terrorismo em nível global, e entre essas destacam-se aquelas cuja meta imediata é a prevenção, estendendo-se, portanto e naturalmente, a temas como inclusão social, desenvolvimento sustentável e educação, tráfico de drogas e contrabando de armas, além de lavagem de dinheiro e financiamento de grupos terroristas.

Os países são ainda estimulados a tomar medidas práticas para evitar que seus respectivos territórios sejam utilizados para instalações terroristas e campos de treinamento. Porque a luta contra o terrorismo só é eficiente a longo prazo, quando combate e prevenção aliam-se no comprometimento global, de forma que o fenômeno seja combatido diretamente em suas causas, prevenindo-se as suas conseqüências.
Márcio Pedrosa Junior

CRISE FINANCEIRA

É uma boa hora de se pensar na população do mundo todo e buscar levar as garantias de sobrevivência, política e cultura a todos. Agora, é claro como o mundo vive uma inversão de valores; depois da quebra das finanças mundiais, espero que a opção dos governantes seja essa e não a guerra.
Siegfried Fuchs

CHRISTIANE F.

Na minha opinião, ela foi sim vítima do próprio destino, tendo em vista não ter tido uma infância regular e, conseqüentemente, uma juventude normal (com toda a sorte de conseqüências). Para agravar mais, além de prostituir-se, drogar-se, ainda sem estrutura, assumiu a maternidade, buscando conforto e solução para os seus problemas em seu filho! Como ela poderia doar se ainda encontrava-se à procura... Entretanto, creio que tudo veio piorar no instante em que ela perdeu a guarda do seu único filho, seu esteio, seu ideal de vida. Isso posto, ela obviamente não conseguiu mais reunir forças e retornou ao vício, ou seja, ao seu mundo sem volta...
Sandra Majer

AQUECIMENTO GLOBAL E ALIMENTAÇÃO

Na minha opinião, com o aquecimento global a alimentação tende a ser mais industrializada e com menos nutrientes. Com a queda na produção, devido ao clima, o preço e a escassez de frutas e verduras tendem a ser maiores. Só estão piorando os hábitos alimentares, que já não eram muito bons. A era da informação, trouxe modificações no bem-estar social da humanidade, que já não está satisfeita com um passeio ao ar livre e as frutas saborosas. Estamos nos acomodando cada vez mais, buscando grandes objetivos, que em determinadas situações prejudicam o meio em que vivemos.[...]
Larissa Vieira

MEIO AMBIENTE

Criam-se organismos, discutem-se metodologias, protelam-se decisões e a humanidade continua pagando preços exorbitantes dos descasos. Não está na hora de acabarmos com as redundâncias e partirmos para as objetividades? Ou melhor, cumpram-se as leis ambientais existentes, revogando-se as disposições em contrário contidas nas relutâncias e na falta de objetividade em se ater aos problemas gritantes verificados com os danos desenfreados com relação à natureza.
Edmildo Cirilo dos Santos

Leia mais