Detenções na Rússia em manifestação contra Putin | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 10.03.2012
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Detenções na Rússia em manifestação contra Putin

Milhares de críticos de Putin foram às ruas em protesto contra as fraudes eleitorais ocorridas durante as eleições presidenciais no país. Moscou reagiu com detenções e presença ostensiva da polícia.

Na capital russa, milhares de pessoas foram novamente às ruas protestar contra a vitória de Vladimir Putin nas eleições presidenciais no país, ocorridas à sombra de diversas acusações de fraude.

Reagindo a um pedido da oposição, as autoridades moscovitas concederam permissão para uma grande manifestação na avenida Novi Arbat, de tráfego intenso, localizada no centro da cidade e nas proximidades do Kremlin. A polícia prendeu diversos manifestantes durante os protestos, entre eles Serguei Udalzov, líder da Frente de Esquerda, partido de oposição.

O movimento de protesto exige acima de tudo novas eleições presidenciais no país, além de diversas outras mudanças. "Temos exigências claras: reformas políticas, criação de uma Justiça independente, o fim da censura da mídia, eleições diretas para governadores e novo pleito para escolha dos membros do Parlamento (Duma) e de um novo presidente", afirmou o político de oposição Vladimir Rychkov à agência de notícias Interfax. Putin acusou seus opositores diversas vezes de não terem um programa de governo para o país.

Aproximadamente 2.500 forças de segurança em ação

Desta vez, aproximadamente 20 mil pessoas participaram dos protestos. Os críticos do governo Putin haviam previsto, contudo, a presença de 50 mil manifestantes.

Uma semana após as eleições, os protestos podem ser decisivos para o futuro da Rússia, ou seja, o futuro das lideranças políticas dependerá da amplitude da paticipação popular nas manifestações. "O objetivo mais importante deste protesto é mostrar a dimensão das fraudes e as infrações ocorridas durante a eleição presidencial, apontando sugestões para uma mudança do sistema político do país", afirmou Rychkov. Os protestos não podem parar, defendeu Serguei Udalzov.

Russland Proteste für Faire Wahlen

Grande parte da população perdeu totalmente a confiança em Putin

Na última segunda-feira (05/03), 20 mil pessoas haviam participado de uma manifestação contra a vitória de Putin nas urnas, num protesto que culminou com a detenção provisória de algumas centenas de opositores. Observadores independentes do pleito russo apontam diversos indícios de "graves transgressões" nas eleições do último domingo.

A Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) também criticou o pleito russo, definindo o mesmo como injusto e desigual. Os responsáveis pela coordenação das eleições revidam todas as acusações. De acordo com dados oficiais, o premiê Putin atingiu em torno de 64% dos votos. Ex-diretor do serviço secreto do país, ele assume em maio próximo, pela terceira vez depois de 2000 e de 2004, a chefia do Kremlin.

SV/dapd/dpa/afp
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais