1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Destruição de dados da Bundeswehr gera suspeitas

Defeito em robô teria levado à destruição de dados sobre operações das Forças Armadas alemãs no exterior de 1999 a 2003. Políticos e peritos suspeitam que se tratou de 'queima de arquivos' envolvendo o caso Kurnaz.

default

Murat Kurnaz acusou dois soldados da Bundeswehr de maus-tratos

Lideranças políticas e peritos duvidam da informação do Ministério alemão da Defesa de que dados secretos sobre operações das Forças Armadas no exterior tenham sido irreparavelmente perdidos devido a uma pane técnica.

Entre os dados destruídos estariam também informações sobre o turco-alemão Murat Kurnaz, ex-prisioneiro de Guantánamo, que diz ter sido maltratado por dois soldados de um comando especial da Bundeswehr em 2002 no Afeganistão.

Segundo a vice-líder da bancada do Partido Liberal, Birgit Homburger, "uma negligência dessas é inaceitável. O fato de não ter sido feita uma cópia de informações desse tipo dá o que pensar". O vice-líder do Partido Verde, Hans-Christian Ströbele, também duvida que "tudo tenha sido feito de forma correta".

Culpa do robô

De acordo com um comunicado do vice-ministro da Defesa, Peter Wichert, à Comissão de Defesa do Bundestag (câmara baixa do Parlamento Alemão), um robô usado na gravação dos dados teve de ser substituído por causa de um defeito técnico no final de 2004. Na ocasião teria sido constatado que parte das fitas magnéticas, contendo informações do período de 1999 a 2003, não eram mais legíveis. A tentativa de recuperá-las teria fracassado e, por isso, elas teriam sido destruídas.

No ano passado, a Comissão de Defesa do Bundestag se transformara em Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar as acusações feitas por Kurnaz. Por falta de provas, a Promotoria Pública de Tübingen suspendeu em maio passado o inquérito contra os dois soldados suspeitos.

O advogado de Kurnaz, Bernhard Docke, queria forçar a continuidade do processo. Em entrevista à agência alemã de notícias DPA, ele disse suspeitar que as Forças Armadas tenham destruído material que poderia ser usado como prova em tribunal. Os soldados acusados negam sua participação em maus-tratos contra Kurnaz.

O perito em serviços secretos Erich Schmidt-Eenboom disse ao jornal Berliner Zeitung que o Departamento Federal de Investigações e firmas especializadas têm condições de recuperar arquivos eletrônicos danificados. "É estranho que nesse caso não se tenha buscado auxílio técnico. Isso cheira ser proposital", disse. (gh)

Leia mais