1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Desemprego agrava-se ainda mais na Alemanha

O número total de desempregados na Alemanha ultrapassou os 4 milhões no mês de julho passado, de acordo com as estatísticas oficiais, divulgadas em Nurembergue nesta quarta-feira (07/08).

default

Florian Gerster: média anual de desemprego em torno de 4 milhões

Em relação ao mês anterior, aumentou em 92.600 o número total de pessoas sem emprego na Alemanha. Mas em comparação com o mês de julho de ano passado, a situação é ainda mais grave: o número de desempregados aumentou em mais de 248 mil. Com isto, a taxa de desemprego subiu para 9,7% (em junho: 9,5%).

O chefe do Departamento Federal do Trabalho, Florian Gerster, viu-se obrigado a corrigir o seu prognóstico para 2002. Até agora, Gerster sempre falara de um número médio de desempregados "abaixo de quatro milhões" no corrente ano. A partir desta quarta-feira, ele reformulou a sua afirmação: o número médio de desempregados deverá ficar "em torno dos quatro milhões".

Reformas

Segundo Florian Gerster, só se poderá contar com o surgimento de novos empregos no país, com um crescimento econômico mínimo de 2%, caso não haja uma melhora das condições básicas. Com a introdução de reformas ou dos planos da chamada Comissão Hartz, pode ocorrer uma recuperação mais rápida, afirmou.

Para o ministro do Trabalho Walter Riester, as estatísticas oficiais divulgadas em Nurembergue "não são nenhuma boa notícia". Ele ressaltou, porém, que todos os anos o desemprego aumenta no mês de julho. Desta vez, o aumento teria sido até mesmo abaixo da média dos anos anteriores, na sua opinião.

Seu colega de gabinete, o ministro das Finanças Hans Eichel, vê razões inteiramente distintas para o elevado desemprego, em especial na parte leste da Alemanha. Segundo ele, isto é um tributo à reunificação do país, que foi desejada por todos os alemães.

Numa entrevista ao diário Ostsee-Zeitung, Eichel afirmou que as grandes empresas da extinta Alemanha Oriental tiveram de enfrentar a concorrência do mercado mundial, da noite para o dia, sem estarem preparadas para isto. O resultado foi a falência e o desemprego permanente para um grande número de pessoas, em geral das gerações mais velhas.

Leia mais

Links externos