1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Descompasso entre as estrelas

O que define a categoria de um hotel? Os critérios exigidos para merecer cinco estrelas são diferentes na Alemanha, França ou Brasil. Para evitar surpresas, recomenda-se ao turista informar-se bem antes de sair de casa.

default

Cinco estrelas Adlon: símbolo da capital alemã

Dependendo do local, o que se entende por “categoria cinco estrelas” pode variar entre a água e o vinho. O diretor da Confederação Hoteleira Alemã, Markus Luthe, afirma em entrevista ao semanário Der Spiegel que “as opiniões sobre o que é um bom hotel variam de país para país”.

Nos Estados Unidos, por exemplo, é necessário oferecer ao hóspede geladeiras com máquina de fazer gelo para receber o selo five stars. Já em Portugal, os que querem chegar ao topo da classificação são obrigados a colocar cigarros na recepção à disposição do hóspede, enquanto na França o bidê no banheiro é condição sine qua non para alcançar o título. Não muito longe dali, os gregos só concedem cinco estrelas aos hotéis que tiverem cortinas duplas nos quartos.

Camas estreitas & refeições opulentas

Entretanto, nem mesmo as exigências para a classificação são claras: uma cama de casal na Espanha, por exemplo, pode ter 1,35 m, enquanto na Alemanha uma Doppelbett precisa exibir 1,80 m para ser destinada à acomodação de duas pessoas. O mesmo acontece com o conceito “café da manhã”, que varia enormemente de país para país. No Reino Unido, um hotel só recebe as cinco estrelas se oferecer ao hóspede bacon ou salsicha (quentes) na refeição matinal.

Se grande parte dos hotéis recebe das organizações em seus respectivos países de uma a cinco estrelas, há exceções que chegam às seis e até sete, como é o caso único do Hotel Burj al-Arab, em Dubai.

Na Alemanha, há desde 1996 uma padronização dos critérios que definem a categoria de um hotel. “Antes, qualquer um podia conceder quantas estrelas quisesse a seu próprio negócio”, afirma Luthe, da Confederação Hoteleira Alemã. No entanto, dos cerca de 38 mil estabelecimentos que formam a rede hoteleira do país, apenas sete mil se submeteram à classificação da organização.

Estrelas não são garantia

O que deixa às vezes os turistas alemães um pouco atordoados é o fato de que as próprias agências alemãs de turismo não possuem critérios unificados de classificação. Na busca por um teto durante as férias, é possível encontrar o mesmo hotel contendo três, quatro ou cinco estrelas, dependendo de quem oferece o pacote de viagem.

O mais aconselhável é, neste caso, informar-se bem sobre o que o estabelecimento oferece. “Estrelas sozinhas não garantem muito”, alerta Andreas Michael Casdorff, gerente do grupo TUI.

Leia mais