1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Descoberta sensacional em Magdeburg

Arqueólogos identificaram restos localizados na capital da Saxônia-Anhalt como parte dos fundamentos da catedral do imperador Otto I. Descoberta pode levar a uma revisão da história medieval da Alemanha.

default

Ilustração de Otto, o Grande e sua primeira esposa, a princesa Edith

Ao realizarem escavações na praça central que abriga a atual Catedral de Magdeburg, especialistas do Departamento Estadual de Arqueologia depararam recentemente com um jazigo de pedra. Análises posteriores confirmaram a suposição inicial de que a sepultura fazia parte da lendária catedral do imperador Otto I, chamado o Grande, que viveu de 912 a 973.

Os trabalhos ainda não estão concluídos, mas o diretor das escavações, Rainer Kuhn, está convencido de que os resultados levarão a uma reavaliação da história medieval da Alemanha. Até agora, os historiadores acreditavam que naquele lugar ficava, na época, o castelo imperial, e que os fundamentos da catedral medieval estariam sob a atual, cerca de 50 metros ao sul.

Igreja monumental — As fundações já expostas, algumas com 3,20 metros de largura, permitem deduzir as dimensões monumentais que a igreja devia possuir: cinco naves, 80 metros de comprimento, 41 metros de largura e até 60 metros de altura. Restos de material encontrados — mármore italiano, mosaicos de vidro — comprovam a riqueza da catedral, uma das mais magníficas da Europa mil anos atrás.

Luftbild Magdeburg

Vista de Magdeburgo, com a catedral à margem do Rio Elba

Construída por iniciativa do imperador a partir de 955, a antiga catedral otônica foi destruída pelas chamas já em 1207. Até há pouco, supunha-se que a atual catedral gótica fora construída, a partir de 1209, sobre os fundamentos da antiga. Agora os arqueólogos chegaram à conclusão de que no lugar da Catedral de Magdeburg ficava o Convento de São Maurício, construído também a mando do Otto I, em 937.

Sacro Império Romano — Entre os méritos históricos de Otto I, chamado já por seus contemporâneos de o Grande, foi ter fundado o Sacro Império Romano, que perdurou — mais tarde já com o nome de Sacro Império Romano de Nação Germânica — até 1806.

Otto foi coroado rei dos francos e dos saxões em Aachen, em 946, após a morte de seu pai, o conde da Saxônia Henrique I. Alguns anos mais tarde, casou-se em segundas núpcias com a rainha italiana Adelaide, adquirindo assim também a distinção de rei da Lombardia. Foi coroado imperador pelo papa João XII em 962. Conseguindo em 972 o reconhecimento de seu império por Bizâncio, Otto I promoveu o casamento de seu filho, o futuro Otto II, com a princesa bizantina Teófana. A sepultura de Otto I encontra-se na Catedral de Magdeburg.

Leia mais