1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Depósito de luxo em São Sebastião

Com o enorme crescimento das cidades no Brasil, o lixo tornou-se um sério risco para a saúde pública e o meio ambiente.

default

O moderno depósito de lixo reduz a contaminação ambiental

Em São Paulo, a metrópole brasileira com cerca de 20 milhões de habitantes, os depósitos de lixo chegam a atingir uma altura de 80 metros. As infiltrações líquidas contaminam o lençol freático, gerando um sério risco para a saúde da população. Inúmeros "lixões" estão em vias de provocar um colapso do meio ambiente.

Em todo o Brasil, os depósitos de lixo – em geral, altamente contaminados – servem como magra fonte de subsistência, mas também como séria ameaça para a saúde de pessoas que vivem em extrema pobreza. Em São Sebastião, no entanto, desapareceram os lixões contaminados e os catadores de lixo. Agora, a cidade se orgulha de possuir um dos depósitos de lixo mais limpos e bem organizados de toda a América Latina.

A vida mudou

Recycling Halle

Ex-catadoras de lixo trabalham na cooperativa das sucatas

A vida dos antigos catadores de lixo mudou inteiramente. As pessoas, que antes passavam os dias inteiros atolados até os joelhos nos montes mau cheirosos de lixo em busca de algo aproveitável, têm agora uma nova ocupação. Elas agora estão empregadas na seleção de materiais recicláveis, numa cooperativa localizada no centro da cidade.

A cooperativa foi criada com a ajuda da Sociedade de Cooperação Técnica (GTZ), uma entidade alemã de ajuda para o desenvolvimento. A GTZ treinou o pessoal, ensinando os fundamentos para a seleção de materiais recicláveis do lixo doméstico. E dotou a cooperativa de computador, através do qual seus membros podem consultar – via internet – os preços correntes de mercado para materiais como vidro ou papel.

A cooperativa de sucatas é presidida por Edileuza Santos, uma antiga catadora de lixo. Ela relatou a John Hay, repórter do programa inglês da DW-Rádio, o êxito do seu empreendimento. Como outros membros da cooperativa, Edileuza aprendeu com a GTZ a diferenciar os tipos de papel e de plástico. A nova situação mudou inteiramente a vida de todos os catadores de lixo, que já não competem entre si, visando garantir a própria sobrevivência.

Edileuza Santos: "Vivemos realmente muito melhor do que vivíamos antes. Trabalhamos juntos e em paz e não brigamos entre nós. Agora, que todos nós recebemos salários regulares, não temos de nos preocupar demais."

Uma parceria modelo

Ao ajudar na criação da cooperativa de reciclagem em São Sebastião, a GTZ também deu apoio ao programa municipal de processamento técnico de dejetos, transformando a cidade num modelo de bom gerenciamento na eliminação do lixo.

O depósito de lixo de São Sebastião deixou de oferecer um panorama vergonhoso. Ele até cheira melhor, graças a uma parceria entre a administração pública e a iniciativa privada, envolvendo a municipalidade, uma empresa brasileira que faz a coleta do lixo e a empresa alemã Faber.

Há muitas décadas, a Faber desenvolveu uma técnica conhecida como "tratamento mecânico-biológico", no qual o lixo é levado à decomposição em depósitos dotados de grande ventilação. "Nós experimentamos esse processo na Alemanha desde a década de 60", afirma Wolfgang Tönges, diretor executivo da Faber. "É um bom motivo para comprar nossos produtos, saltando inúmeras fases de desenvolvimento e evitando cometer os mesmos erros, que foram feitos na Europa", acrescenta.

Gerenciamento de tecnologia avançada

O lixo doméstico, em depósitos sem controle, necessitam de até 400 anos para a sua completa decomposição. Durante este período, as infiltrações líquidas contaminam o lençol freático e os montes de resíduos emitem metano, gás que polui o meio ambiente.

O tratamento mecânico-biológico reduz o tempo de decomposição para doze meses ou menos. Quase não há emissão de metano.

Os montes de lixo são isolados do solo através de folhas de plástico, a fim de evitar a contaminação do lençol freático. A adição de determinados tipos de bactérias ao monte de lixo faz com que a decomposição seja mais rápida.

Os montes de lixo consistem em várias camadas, separadas por engradados de madeira, a fim de garantir a ventilação. A camada superior de cada monte – o filtro biológico – é feita de raspas de madeira, semelhante ao solo de uma floresta e dando uma impressão geral de organização e limpeza.