1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Dentista alemão apita Japão x Rússia

O odontologista Markus Merk é o representante da Alemanha no quadro de árbitros escolhidos pela FIFA para apitar as 64 partidas da Copa do Mundo de 2002.

default

Merk já dirigiu muitos jogos internacionais, inclusive da Eurocopa e das Olimpíadas

Dentista e voluntário da ajuda alemã para o desenvolvimento, o alemão Markus Merk apita, neste domingo, o duelo entre Japão e Rússia. "Estou muito satisfeito por poder apitar a partida de um dos anfitriões do mundial, diante de 70 mil espectadores em Yokohama", afirma o árbitro.

"Ele é experiente, destaca-se por sua boa forma física e mental e é respeitado na Europa e em todo mundo", observa Volker Roth, responsável por árbitros na Federação Alemã de Futebol (DFB).

Aos 40 anos, Merk espera poder atuar mais vezes nesta sua primeira Copa do Mundo. "Cada juiz apitará pelo menos um jogo; o que virá depois, não se sabe", explica. A decisão de apitar ou não um segundo jogo não dependerá dele, mas sim da Fifa.

E as suas chances de retornar ao gramado dependerão também do desempenho da seleção alemã. Quanto maior o êxito da equipe de Rudi Völler, tanto menor será a sua chance de apitar um segundo jogo. Afinal, a Fifa busca o menor envolvimento emocional possível dos árbitros com o torneio.

Experiência internacional

Markus Merk já atua como juiz de futebol na Alemanha desde 1984. Depois de ganhar quatro anos de experiência em partidas amadoras e da segunda divisão, ele passou a apitar também jogos da Bundesliga. Até agora, já dirigiu um total de 197 jogos na categoria máxima do futebol alemão, tendo sido eleito por três vezes "o juiz do ano".

Como juiz da Fifa, Merk começou a sua carreira em 1992. Já atuou em 24 partidas internacionais de alto nível, além de ter apitado também jogos da Eurocopa (2000), da Copa da Uefa e da Liga dos Campeões, assim como das Olimpíadas de 1992, em Barcelona. Esta será, portanto, sua primeira Copa do Mundo. E possivelmente a última. "Nos últimos 30 anos, a Fifa nunca chamou um árbitro alemão para mais de um mundial", esclarece conformado.

Markus Merk ainda pretende continuar muitos anos atuante. A idade limite para os árbitros da Fifa é de 45 anos e na Bundesliga até mesmo de 47. Ele pretende continuar enquanto for possível. Com a experiência acumulada ao longo da sua carreira internacional, o juiz alemão mostra-se também bastante seguro: "Não há jogo que eu não possa apitar."

Os juízes da Copa do Mundo

Os árbitros que compõem o quadro da FIFA na Coréia do Sul e no Japão são provenientes de 35 países: um australiano, cinco asiáticos, cinco africanos, cinco norte e centro-americanos, seis sul-americanos e 14 europeus. Aqui está a relação:

  • Oceania: Mark Alexander Shield (Austrália)
  • Ásia: Ali Bujsaim (Emirados Árabes Unidos), Toru Kamikawa (Japão), Young Joo Kim (Coréia do Sul), Jun Lu (China), Saad Kamel Mane (Kuwait)
  • África: Coffi Condjia (Benin), Mourad Daami (Tunísia), Ndoye Falla (Senegal), Gamal Ghangour (Egito), Mohammed Guezzaz (Marrocos)
  • América Central e do Norte: Carlos Batres (Guatemala), Brian Hall (EUA), William Mattus Vega (Costa Rica), Peter Pendergast (Jamaica), Felipe Ramos Rizo (México)
  • América do Sul: Carlos Eugênio Simon (Brasil), Obaldo Aquino (Paraguai), René Ortube (Bolívia), Byron Moreno (Equador), Oscar Julian Ruiz (Colômbia), Angel Sanchez (Argentina)
  • Europa: Markus Merk (Alemanha), Pierluigi Collina (Itália), Hugh Dallas (Escócia), Anders Frisk (Suécia), Terje Hauge (Noruega), Antonio Lopez Nieto (Espanha), Lubos Michel (Eslováquia), Urs Meier (Suíça), Vítor Melo Pereira (Portugal), Kim Milton Nielsen (Dinamarca), Graham Poll (Inglaterra), Kyros Vassaras (Grécia), Gilles Veissiere (França), Jan Wegereef (Holanda)

Leia mais

Links externos