Denúncia contra Temer derruba mercados | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 18.05.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Denúncia contra Temer derruba mercados

Bovespa suspende operações devido à queda acelerada de seu principal índice em meio a escândalo envolvendo presidente. Real tem forte desvalorização ante o dólar. Ação da Petrobras sofre maior queda diária em 18 anos.

A Bovespa suspendeu suas operações nesta quinta-feira (18/05) depois de o seu principal índice, o Ibovespa, cair mais de 10% em menos de meia hora e ficar abaixo dos 61 mil pontos em reação à revelação de um áudio em que o presidente Michel Temer avaliza suborno ao ex-deputado Eduardo Cunha.

A operação foi interrompida pelo chamado circuit breaker, que suspende as operações por meia hora quando o Ibovespa cai mais de 10%. O mecanismo, no entanto, não foi suficiente para evitar que a bolsa tivesse o pior dia desde 22 de outubro de 2008, data que também marcava a última vez que o circuit breaker tinha sido necessário. Nesta quinta-feira, o Ibovespa desabou 8,8%, a 61.597 pontos.

O real registrava queda de 8,82% face ao dólar na manhã desta quinta-feira. Ao fim do dia, o dólar comercial fechou com alta de 8,15% ante o real, chegando a 3,38 reais. Segundo a agência Reuters, foi a maior valorização diária desde 1999.

Ações da Petrobras e do Banco do Brasil chegaram a cair quase 20%. No caso da petrolífera, as ações preferenciais tiveram queda de 15,7%, marcando a maior desvalorização diária em 18 anos. Já as ações do Banco do Brasil tiveram queda de 19,9%, a maior desde março de 2016.

Esperando uma reação negativa do mercado perante a nova denúncia de corrupção, o Banco Central afirmou que "está monitorando o impacto das informações recentemente divulgadas pela imprensa e atuará para manter a plena funcionalidade dos mercados".

A instituição afirmou ainda que "esse monitoramento e atuação têm foco no bom funcionamento dos mercados. Não há relação direta e mecânica com a política monetária, que continuará focada nos seus objetivos tradicionais".

AS/EK/efe/lusa/abr/ots

Leia mais