1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

"Democratas estão em situação difícil", diz especialista

Resultado das eleições legislativas no Colorado pode determinar que partido controlará o Senado. Estilo de governo democrata e questão do aborto aquecem disputa com republicanos, aponta o cientista político Seth Masket.

Os eleitores americanos irão às urnas nesta terça-feira (04/11) para recompor a Câmara dos Representantes, hoje dominada pelos republicanos, e o Senado, controlado pelos democratas. Também serão escolhidos 38 governadores.

No Colorado, onde a disputa é apertada, o Partido Republicano aparece na frente nas pesquisas. Se confirmada nas urnas, a vitória da oposição poderá trazer dificuldades ao governo nos últimos dois anos do mandato do presidente democrata Barack Obama.

Em entrevista à DW, Seth Masket, professor de Ciência Política da Universidade de Denver, fala sobre o momento que o Partido Democrata atravessa e como o resultado no estado do Colorado pode influenciar o cenário político americano.

DW: Quais os temas mais importantes no Colorado para as eleições legislativas?

Seth Masket: Atualmente, o assunto mais importante trata da autodeterminação da mulher, mais precisamente, do aborto e da contracepção. Esses temas já foram debatidos em campanhas eleitorais anteriores. O candidato republicano ao Senado, Cory Gardner, que é hoje membro da Câmara dos Representantes, quer estender aos fetos ainda não nascidos os mesmos direito dos cidadãos americanos.

Dr. Seth Masket

Seth Masket, professor de Ciência Política da Universidade de Denver

Muitos consideram isso um posicionamento radical contra o direito ao aborto. Desde que iniciou sua campanha para o Senado, a atitude do republicano tem sido mais moderada. O senador democrata Mark Udall [, que concorre à reeleição,] há muito defende o direito ao aborto. Ele tenta associar Gardner a declarações anteriores e retratá-lo como um radical. Mas acredito que os eleitores confiam que Gardner seja menos radical em seus argumentos do que seu antecessor republicano.

Quais outros temas são relevantes nestas eleições?

No pano de fundo, a economia também tem influência. Udall chamou atenção para os desenvolvimentos positivos aqui no Colorado e no país inteiro, enquanto Gardner rebateu, afirmando que o desemprego ainda é muito alto e o crescimento, muito lento.

Até certo ponto, a política energética também influencia a campanha. Udall é a favor da diminuição da dependência do petróleo, de modo a proteger o meio ambiente. Já Gardner defende uma produção petrolífera mais agressiva.

Além do Colorado, esses temas também são importantes em outros estados?

Sim, até certo ponto. O direito ao aborto é defendido em vários outros estados. No Colorado, onde as eleições estão bastante disputadas, os democratas utilizam esse tema para conquistar as mulheres. Tal estratégia já se provou eficaz para o Partido Democrata em outras eleições concorridas no passado.

Que impacto as eleições no Colorado podem ter no cenário político americano?

Até o momento, ninguém sabe quem irá controlar o Senado no futuro. No final, um assento pode fazer a diferença. Também depende da decisão dos eleitores de diversos distritos nos quais a votação deve ser apertada. O que acontecer no Colorado pode ter impacto nos dois últimos anos do mandato do presidente Barack Obama – no que diz respeito à política de imigração ou de impostos ou na futura composição da Suprema Corte, por exemplo.

Nas últimas semanas, os democratas apareceram atrás nas pesquisas no Colorado. Por quê?

Isso não acontece apenas no Colorado, mas no país inteiro. Os democratas estão em situação difícil. Isso é normal numa eleição legislativa, em que os apoiadores do presidente comparecem às urnas em menor número do que seus oponentes. Isso se aplica particularmente ao momento atual, devido ao crescimento econômico limitado e à estagnação nos salários dos trabalhadores. Além disso, o presidente parece estar bastante impopular.

Podemos dizer que há um efeito "anti-Obama" em nível nacional?

Sim, certamente.

O Wall Street Journal responsabiliza os democratas por afetarem a vida de muitas pessoas com suas posições rígidas quanto aos poderes reguladores do governo. O que o senhor acha disso?

Sim, é possível analisar desta forma. No Colorado, os democratas têm a maioria por todas parte. Eles controlam o Congresso estadual e o governo do estado. Reforçaram as regulamentações sobre as armas e tomaram as rédeas da indústria energética. É o que fazem os democratas quando governam. Isso gera resistência, o que motiva ainda mais os republicanos a darem tudo o que podem nessas eleições.

Leia mais