1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

DaimlerChrysler aumenta lucro e previsão para 2002

O balanço apresentado pela montadora teuto-americana nesta quinta-feira (18/07) surpreendeu os analistas. A DaimlerChrysler foi a segunda montadora alemã a criar um Conselho Mundial de Funcionários.

default

O "Maybach" da DaimlerChrysler diante da Bolsa de Nova York

Após anunciar um excelente balancete de suas atividades no segundo trimestre, a DaimlerChrysler corrigiu para cima suas expectativas de lucro para 2002. O otimismo está relacionado com a recuperação da Chrysler nos EUA. Os novos dados surpreenderam os analistas, ao superar suas previsões.

Lucro operacional de 1,9 bilhão de euros

O lucro operacional sem efeitos extraordinários deverá ser superior a 4 bilhões de euros este ano, o que representa mais do que o triplo do lucro de 2001, segundo o presidente da montadora, Jürgen Schrempp. Sua última previsão era de um lucro operacional de 2,7 bilhões de euros. O lucro de 1,9 bilhão de euros no segundo trimestre também surpreendeu, pois os analistas contavam com 1,3 bilhão de euros. Apesar das boas notícias, a bolsa reagiu de forma reservada e a ação valorizou-se cerca de 2%, sendo negociada a 46,99 euros.

Na análise que fez, Jürgen Schrempp advertiu para não se transpor os dados do segundo trimestre para o ano todo, lembrando que o terceiro costuma ser bem mais fraco para a indústria automobilística. "Recebemos sinais de crescente insegurança dos mercados mais importantes", acrescentou. A situação no mercado de automóveis, de fato, não está das melhores nos EUA e na Alemanha.

Chrysler e Freightliner começam a recuperar-se

Os setores em plena reestruturação, como a Chrysler e a Freightliner, fizeram progressos na contenção de gastos e obtenção de maior rentabilidade e eficiência, o que também se estende ao parceiro Mitsubishi Motors. Após a crise na Chrysler, que representou prejuízos de bilhões de dólares à montadora com sede em Stuttgart, o balanço voltou a apresentar números positivos. No segundo trimestre, a Chrysler teve um lucro de 800 milhões de euros (frente a 150 milhões de euros de prejuízo no segundo trimestre de 2001). O setor de caminhões (Freightliner), que se ressente da baixa demanda principalmente nos EUA, também conseguiu sair dos números vermelhos a partir de março, obtendo um lucro de 32 milhões de euros.

No primeiro semestre, o lucro operacional, sem efeitos únicos como custos de saneamento e renda com a venda de firmas, foi de 3 bilhões de euros (-100 milhões de euros em 2001). No entanto, o faturamento da DaimlerChrysler diminuiu 5% para 76,2 bilhões de euros no primeiro semestre. O número de funcionários em todo o mundo caiu de 382.558 para 374.059 no final de junho, o que a presidência atribuiu às conseqüências da reestruturação na Chrysler e Freightliner.

A montadora alemã chocou os analistas em fevereiro deste ano, ao retirar sua previsão de um lucro operacional de 5,5 a 6,5 bilhões de euros para este ano. Os 4 bilhões previstos agora não chegam a essa soma, mas estão bem acima da última previsão (2,6 bilhões de euros). "Os dados são melhores do que se esperava e melhores também do que a média dos prognósticos", disse Christian Breitsprecher, do Deutsche Bank.

World Employee Committee

Na quarta-feira (17), a DaimlerChrysler anunciou a criação de um Conselho Mundial de Funcionários, sendo a segunda montadora alemã a introduzir uma representação que coordene as reivindicações sindicais de seus funcionários em todo o mundo. A pioneira foi a Volkswagen, a primeira indústria automobilística do mundo a criar o Welt-Betriebsrat em 1998.

O World Employee Committee da DaimlerChrysler compõe-se de 13 representantes dos funcionários em quatro continentes. Seu presidente é Erich Klemm, o vice, Nate Gooden. "A fundação é um sinal de que a solidariedade internacional dos funcionários da DaimlerChrysler já existe sobre uma sólida base", disse Klemm, em Stuttgart.