Da planta ao plástico | Cana-de-açúcar no Brasil | DW | 10.01.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cana-de-açúcar no Brasil

Da planta ao plástico

Os componentes básicos do plástico podem ser encontrados também em plantas. O caminho delas até o material sintético – o bioplástico – segue uma técnica há muito conhecida.

default

O bagaço da cana-de-açúcar nada mais é do que uma sobra industrial fibrosa e insolúvel, composta basicamente por celulose e cerca de 20% de lignina – polímero orgânico que une as fibras celulósicas, aumentando a rigidez da parede celular vegetal. Após um primeiro tratamento, pode-se transformar o bagaço em polímero biodegradável.

A princípio, esse procedimento já é conhecido há anos: em um biorreator fechado são cultivadas colônias de bactérias especiais, "alimentadas" com o bagaço.

Ao controlar as ligações químicas desse processo – através de uma deficiência proposital de nitrogênio, por exemplo –, é possível fazer com que as bactérias não utilizem o "alimento" para o seu próprio desenvolvimento e, sim, o convertam em moléculas simples de açúcar.

Em etapas seguintes, estas moléculas são transformadas nos componentes básicos do poliéster termoplástico. polihidroxibutirato (PHB), que então é extraído por meio de centrifugação ou solventes. Na sua forma pura, no entanto, o plástico biodegradável é extremamente frágil. Suas propriedades como plástico podem ser aperfeiçoadas através da adição de ácidos e outras melhorias.

Uma contribuição da Sociedade Helmholtz (mdm)
Redação: Roselaine Wandscheer