1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Custo de vida na Alemanha será dor de cabeça para estrangeiros

Sul-americanos e africanos terão acréscimos de até 110% no custo de vida, enquanto suíços, japoneses e suecos, por exemplo, irão contabilizar lucro.

default

Os fãs de futebol que estão vindo para a Alemanha durante a Copa do Mundo podem se preparar para um aumento de 110% no custo de vida durante as quatro semanas de competição. A informação é da empresa de recursos humanos ECA Internacional, de acordo com estudo realizado.

"A Alemanha, anfitriã da Copa do Mundo, é um dos países mais caros entre os que participam da Copa do Mundo, e apenas poucas nações têm um custo de vida superior", disse Lee Quane, gerente-geral da empresa em Hong Kong. "Isso significa que a maioria dos fãs que viajam para o país europeu vão se deparar com custos de necessidades diárias e serviços acima do que costumam ter."

A não ser que os turistas sejam do Japão, Coréia do Sul, Suécia, Suíça, França, Reino Unido, o tempo passado na Alemanha será um "roubo", especialmente para pessoas que vêm de países como os da América do Sul.

De acordo com o levantamento feito, os paraguaios, por exemplo, podem esperar um salto de 110% nos custos de vida, pagando três vezes mais por um tubo de pasta de dente, quatro vezes mais por remédios contra dores e seis vezes mais por um maço de cigarros.

Caso o Brasil chegue à final do torneio, os brasileiros podem contar com uma despesa de mais de três mil euros por quatro semanas com acomodação em hotel três estrelas, comparada aos aproximados dois mil euros que sairiam no seu próprio país.

Os australianos que vêem para Alemanha e que tiverem a chance de ver sua seleção em uma final pela primeira vez em 32 anos terão que pagar 15% a mais por uma cerveja, enquanto os torcedores de Cingapura devem contar com 50% a mais por um filme fotográfico.

Já os japoneses vão se beneficiar, já que os custos de vida na Alemanha para eles serão 25% mais baratos.

Links relacionados:

Leia mais