1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Curitiba pode ficar fora da Copa

Mais atrasada entre estádios do Mundial, Arena da Baixada ainda não tem cadeiras, gramado e cobertura. Após visitar obras, secretário-geral da Fifa diz que situação é emergencial e ameaça realização de jogos na cidade.

Assistir ao vídeo 01:21

Valcke ameaça excluir Curitiba da Copa

Do temor de protestos ao medo de um caos aéreo, a lista de preocupações para a organização da Copa de 2014 é extensa. Mas atualmente nada vem rendendo tanta dor de cabeça ao governo brasileiro e à Fifa quanto a Arena da Baixada. O estádio em Curitiba, que receberá quatro jogos, está com as obras tão atrasadas que agora ameaça ficar de fora do Mundial.

No plano inicial, o estádio deveria estar pronto até 31 de dezembro do ano passado. Mas os responsáveis já admitem que as obras terão que continuar pelo menos até o fim de março. De tão séria, a situação levou nesta terça-feira (21/01) a uma ameaça, em tom até aqui pouco usual, do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke.

"A situação é emergencial. Sem estádio, não há jogos", alertou Valcke em entrevista coletiva, após visitar a arena. "A questão é delicada. Sejamos francos e diretos: o estádio não está apenas muito atrasado – ele foge a qualquer bom cronograma de entrega para a Fifa."

Dos seis estádios ainda não entregues, a Arena da Baixada é a que mais preocupa. Nas últimas semanas, a construção praticamente não avançou devido a chuvas, demora na liberação de financiamentos e a uma greve de operários. Desde o fim de novembro, praticamente não saiu do status de 88% pronto. Hoje, a menos de cinco meses da Copa, ainda faltam cadeiras, gramado, cobertura, infraestrutura de acesso e áreas para a imprensa.

Prazo para mudança

Valcke foi ao Brasil especialmente para inspecionar os estádios inacabados. Inicialmente, não visitaria Curitiba – mas sim Manaus – mas decidiu em cima da hora mudar os planos devido à gravidade do caso da Arena da Baixada. Ele determinou que, até 18 de fevereiro, seja apresentado um novo plano de trabalho, montado pelos responsáveis pela obra e também por representantes do poder público e do comitê organizador do Mundial.

FIFA Generalsekretär Jerome Valcke

Jérôme Valcke: pressão para que estádio fique pronto a tempo para a Copa do Mundo

"Se em 18 de fevereiro a situação estiver como está agora, com esse nível de preparação que está definitivamente colocando em risco a organização de jogos em Curitiba, uma decisão terá que ser tomada entre essas partes que são responsáveis pela organização da Copa do Mundo", ameaçou.

As autoridades anunciaram três medidas centrais para tentar reverter o quadro: instalação de um comitê com gestão mista (pública e privada); aumento da capacidade de trabalho da obra; e incremento do fluxo financeiro, por meio de novos financiamentos.

Força-tarefa

Valcke não delineou um plano B. Mas alertou que somente o cumprimento dessas três medidas dirá se há confiança de que o estádio estará pronto para a Copa. A arena receberá quatro jogos do Mundial, todos da primeira fase: Irã-Nigéria (16/06); Honduras-Equador (20/06); Austrália-Espanha (23/06) e Argélia-Rússia (26/06). A venda de entradas já foi iniciada.

Stadion Fußball WM 2014 Brasilien Arena da Baixada

Desde o fim de novembro, estádio praticamente não saiu do status de 88% pronto

De agora em diante, um grupo formado pelo Atlético e o comitê organizador local vai definir quais são as prioridades e acelerar a execução. O número de operários, por exemplo, deve ser aumentado em 50% ou 70%. O clube diz que 1.080 pessoas trabalham nas obras, mas há indícios de que algumas estejam sem trabalhar.

Para acelerar o processo, o Atlético vai receber 39 milhões de reais em financiamento da agência de fomento do estado do Paraná. O orçamento original da obra é de 326,7 milhões de reais, dos quais 196,8 milhões de financiamento público. O comitê gestor também vai calcular, por meio de auditoria, o valor concreto necessário para conclusão da obra.

Apoio do governo

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, não participou da inspeção em Curitiba porque acompanhava o encontro da presidente Dilma Rousseff com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, em Brasília. Ao sair da reunião, Rebelo disse que o governo "está fazendo um esforço" para garantir a participação da cidade de Curitiba no Mundial.

Mario Celso Cunha, representante do governo estadual para a Copa, avaliou que "seria uma catástrofe" a retirada da sede de Curitiba. "Seria uma perda para todos nós", disse.

Stadion Fußball WM 2014 Brasilien Arena da Baixada

A menos de cinco meses da Copa, ainda faltam infraestrutura de acesso e para a imprensa na arena

As decisões anunciadas nesta terça já estavam sendo discutidas durante a última semana. Mas, apesar do clima de preocupação generalizado, o governo local está confiante. "Tenho certeza de que a cidade de Curitiba não vai se furtar a esse compromisso. Temos, sim, condições e capacidade técnica para honrar os compromissos, mas não podemos titubear um minuto sequer", disse secretário municipal de Esportes, Reginaldo Cordeiro.

A Arena da Baixada deverá ter capacidade para 43 mil espectadores. Para atender às normas da Fifa, o estádio, construído em 1999, passou por demolições e adições. Com o ritmo atual, não é possível garantir a realização de eventos-teste, considerados essenciais pela Fifa para avaliação de acessibilidade e segurança.

Os representantes do Atlético Paranaense não participaram da coletiva com Valcke. A DW Brasil procurou a CAP S/A, a empresa comandada pelo clube e responsável pelas obras, para solicitar dados sobre a construção e para ouvir um representante a respeito das recomendações da Fifa. Mas não obteve resposta.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados