1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Curdos dizem ter libertado Kobane do "Estado Islâmico"

Jihadistas foram expulsos da cidade fronteiriça, segundo representantes das forças curdas e Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Em quatro meses, disputa pela localidade deixou mais de 1,6 mil mortos.

Após quatro meses de intensas batalhas, as forças curdas assumiram nesta segunda-feira (26/01) o controle de Kobane, na Síria. De acordo com a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos e representantes curdos, os combatentes do "Estado Islâmico" (EI) foram expulsos da cidade, próxima à fronteira com a Turquia.

"Essa é uma vitória para todos os curdos", afirmou o porta-voz das forças curdas Idriss Nassan. A defesa do EI entrou em colapso e seus combatentes bateram em retirada, disse. Segundo o porta-voz, os curdos ainda estão perseguindo alguns jihadistas a leste de Kobane, mas não há mais combates dentro da cidade.

Para libertar Kobane dos jihadistas, as forças curdas sírias contaram com o apoio de ataques aéreos quase diários conduzidos pela coalizão internacional liderada pelos EUA e com o reforço dos combatentes curdos peshmerga, vindos do Iraque.

O EI iniciou a ofensiva contra Kobane em setembro do ano passado. Inicialmente, os jihadistas invadiram cerca de 300 aldeias ao redor da cidade, levando cerca de 10 mil pessoas a abandonar suas casas.

Nesta segunda-feira, o Comando Central dos EUA afirmou que 17 ataques aéreos haviam sido realizados nas imediações de Kobane nas últimas 24 horas. Os bombardeios atingiram posições de combate e de infraestrutura dos jihadistas.

Se a retomada de Kobane se confirmar, essa seria a maior derrota do EI na Síria desde que entrou no conflito em 2013. A batalha por Kobane deixou mais de 1,6 mil mortos, sendo mais de mil deles jihadistas, cerca de 450 combatentes curdos e 32 civis.

CN/rtr/dpa/ap/lusa

Leia mais