1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Cronologia da gripe aviária na Alemanha

default

A doença avança pelo país

14 de fevereiro: A gripe aviária atinge a Alemanha. Testes feitos em dois cisnes na Ilha de Rügen confirmam a presença de um tipo especialmente agressivo do vírus H5N1.

15 de fevereiro: É regulamentado o confinamento de aves no Estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental.

17 de fevereiro: O confinamento de aves é tornado obrigatório no país inteiro.

19 de fevereiro: A gripe aviária atinge a parte continental da Alemanha. Como medida de prevenção à disseminação da doença, começa em Rügen o abate de aves de criação. A ilha está em estado de alerta.

20 de fevereiro: No norte do país, é acionado o estado de alarme depois que uma ave é encontrada infeccionada. Cerca de 270 soldados trabalham em Rügen, na busca por animais doentes e na missão de desinfecção.

21 de fevereiro: O governador de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, Herald Ringstorff, assume erros no combate à doença contagiosa.

23 de fevereiro: Suspeita de gripe aviária em ave doméstica é descartada em Rügen.

24 de fevereiro: O vírus H5N1 é encontrado em aves selvagens nos Estados de Schleswig-Holstein, Baden-Württemberg e Brandemburgo.

26 de fevereiro: Em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, aumenta para quatro o número de distritos infectados.

28 de fevereiro: O H5N1 é atestado pela primeira vez em um mamífero: um gato é encontrado morto em Rügen. A doença atinge a Baviera. Outras suspeitas em Baden-Württemberg e Brandemburgo são confirmadas.

3 de março: Pela primeira vez, a gripe das aves é confirmada em uma cidade de grande porte. Um pato é encontrado morto no porto de Mannheim.

4 de março: O vírus chega à Baixa Saxônia.

7 de março: Em Rügen, são encontrados dois gatos infeccionados.

9 de março: O vírus é encontrado pela primeira vez em uma fuinha.

13 de março: A suspeita da primeira contaminação em aves de criação não é confirmada, na Baviera. Como prevenção, os animais são sacrificados.

15 de março: Suspeita de infecção em aves de criação é derrubada na Saxônia.

21 de março: Três zonas de isolamento são desmontadas em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, depois de passados 21 dias.

22 de março: O gabinete de governo disponibiliza meios financeiros adicionais para pesquisas sobre a doença.

23 de março: Caso de gripe aviária em Berlim.

25 de março: Pane em Berlim – As autoridades não conseguem definir a origem de um busardo infectado porque o número de reconhecimento do cadáver do animal foi trocado com o de uma outra ave. Em conseqüência, toda cidade é colocado sobre observação.

30 de março: A empresa farmacêutica GlaxoSmithKline começa dois estudos clínicos para desenvolver uma vacina contra o H5N1.

4 de abril: Um laboratório de biologia molecular na Baviera decifra o código genético do vírus.

5 de abril: Comprovada morte por H5N1 de fêmeas de peru no maior criadouro de aves do Estado da Saxônia. Pela primeira vez, uma área de criação é atingida na Alemanha. Cerca de 16 mil animais são abatidos. Em todo o país, já foram contaminados 274 aves selvagens, três gatos e uma fuinha.

Leia mais