Cristiano Ronaldo, craque controvertido de Portugal | Fique informado sobre tudo o que acontece na Copa do Mundo | DW | 05.07.2006
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Cristiano Ronaldo, craque controvertido de Portugal

Atrevido, temido pelos adversários, amado e odiado por torcedores, o atacante do Manchester United combina habilidade com arrogância e é considerado o futuro da seleção portuguesa.

default

Cristiano Ronaldo (c), festeja o gol que classificou Portugal para a semifinal

O atacante Cristiano Ronaldo, um dos responsáveis pelo vice-campeonato na Eurocopa 2004 e destaque da seleção de Portugal na Copa 2006, é considerado a grande estrela da nova geração de jogadores portugueses.

Mas é também um dos mais controvertidos atletas de seu país. Seu rosto jovem ora estampa a inocência de uma criança, ora o grito de uma dor – encenada ou verdadeira – ou um riso irônico e arrogante. Ele não esconde suas emoções no gramado ou no banco e, por isso, ninguém lhe pode ficar indiferente.

Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro, nascido em 5 de fevereiro de 1985, começou a carreira no Nacional, clube de sua cidade natal, Funchal, na Ilha da Madeira, mas logo conseguiu uma vaga no Sporting. O bom desempenho no clube de Lisboa despertou o interesse do Manchester United, que em 2003 o contratou por 12 milhões de libras.

Diva e playboy

Na Inglaterra, tem fama de playboy e também é visto como um apreciador de jóias, carros, roupas, música brasileira e filmes de ação, principalmente aqueles protagonizados pelo belga Jean Claude van Damme.

Tanto em seu clube quanto na seleção, é um atacante respeitado, mas também um individualista nem sempre benquisto. É uma diva, com tendência narcisista, mas que também sabe servir à equipe. Quando quer, joga um futebol maduro e pode atuar nos dois lados do campo.

Apaixonado pela bola e dono de um estilo cheio de firula, já foi comparado por críticos a um cavalo de circo, que dá belos shows, mas corre em círculo e não é produtivo no ataque. Com sua incrível habilidade, porém, é um terror para qualquer defesa, capaz de decidir um jogo sozinho. É o que ele deseja fazer na semifinal desta quarta-feira (05/07) contra a França em Munique.

"Tenho a sensação de que vamos ganhar, talvez com um gol meu", disse Cristiano Ronaldo. Seus companheiros de equipe naturalmente esperam que isso aconteça e perdoam o individualismo do estrelão. "Ele é um jogador extraordinário", diz o capitão português Luis Figo sobre seu sucessor natural.

Os ingleses odeiam Cristiano Ronaldo desde que ele pediu a expulsão de Wayne Rooney, nas quartas-de-final contra a Inglaterra. Por isso, ele já força sua despedida do ManU, onde tem contrato até 2010, e confirmou que está negociando com o Real Madrid.

À espera do desencanto

Na seleção, atuou nas equipes sub-18 e sub-21 antes de ser convocado por Luiz Felipe Scolari em 2003. No ano seguinte, participou com destaque da campanha do vice-campeonato de Portugal na Eurocopa. Apesar do time não ter conquistado o título, Cristiano Ronaldo foi considerado o melhor jogador português da competição.

Em 2005, envolveu-se em várias confusões, a mais grave foi uma acusação de estupro, que no entanto não pôde ser comprovada. Apesar disso, nas Eliminatórias para o Mundial na Alemanha, encontrou sua forma e marcou sete gols em 12 jogos.

Na Copa, até agora não mostrou todo o seu potencial. No primeiro jogo, contra Angola, foi substituído; contra o México foi poupado por estar pendurado com cartão amarelo. Contra a Holanda, sofreu uma falta brutal de Khalid Boulahrouz e foi substituído – com lágrimas nos olhos.

Além de querer conquistar a taça do mundo para Portugal pela primeira vez, ele tem uma meta particular: ser escolhido como revelação da Copa 2006. Restam-lhe dois jogos para comprovar que merece este título.

Leia mais