1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Cristãos e muçulmanos são irmãos, afirma papa

Na parte mais perigosa de sua viagem à África, Francisco visita enclave muçulmano em Bangui, capital da República Centro-Africana. País enfrenta conflito de fundo religioso há quase três anos.

default

Multidão saúda o papa no bairro de PK5, em Bangui

O papa Francisco cumpriu nesta segunda-feira (30/11) a parte mais perigosa da sua viagem de três dias à África ao visitar uma comunidade muçulmana sitiada por milícias cristãs em Bangui, na República Centro-Africana.

O líder católico levou uma mensagem de reconciliação à principal mesquita da cidade, afirmando que cristãos e muçulmanos viveram em paz por muitos anos e que a religião não pode servir de justificativa para a violência.

Os conflitos na República Centro-Africana começaram em 2013, quando rebeldes muçulmanos derrubaram o presidente cristão François Bozizé. No ano seguinte, quando o líder rebelde deixou o poder, começou uma violenta campanha de vingança contra civis muçulmanos. Os católicos são 37% da população local, e os muçulmanos, 15%.

Nos últimos dois meses, o bairro islâmico de PK5 se transformou num refúgio para todos os muçulmanos que ainda não deixaram a capital. O local foi cercado e isolado por milícias cristãs, que não deixam os muçulmanos sair e impedem a entrada de alimentos.

Papst Franziskus besucht die Zentralmoschee in Bangui

O papa ao lado de líderes religiosos locais, na mesquita de Bangui

Francisco chegou em meio a um forte esquema de segurança ao PK5 e foi ovacionado por uma multidão enquanto passava pelas ruas de terra. O papa andou em carro aberto, apesar dos riscos de segurança. Soldados da ONU estavam de vigília em diversos pontos, incluindo os minaretes da mesquita local.

Francisco insistiu em visitar o PK5 para fazer um apelo em prol da paz num país dividido pela violência religiosa, que já forçou 1 milhão de pessoas a deixar suas residências. Mais tarde, ele celebrou uma missa no estádio de Bangui.

Dentro da mesquita, Francisco tirou os sapatos, inclinou a cabeça e permaneceu em silêncio no mihrab, a área do templo que está voltada para Meca, local sagrado dos muçulmanos.

Papst Franziskus Messe im Stadion von Bangui

Francisco celebra missa no estádio da cidade

O papa afirmou que cristãos e muçulmanos são irmãos e irmãs e pediu a eles que acabem com a violência no país. "Juntos digam 'não' ao ódio, à vingança, à violência, em particular à que se comete em nome de uma religião ou de Deus. Deus é paz, salam", afirmou o pontífice, usando a saudação árabe, após um encontro com a comunidade muçulmana na mesquita.

Francisco recordou que, como irmãos, cristãos e muçulmanos têm de "permanecer unidos para que cesse toda a ação que, venha de onde vier, desfigura o rosto de Deus e, no fundo, tem como objetivo a defesa dos interesses particulares em detrimento do bem comum".

A visita à mesquita foi um dos pontos altos da viagem de três dias do papa pela África. Ele passou também pelo Quênia e por Uganda.

AS/lusa/ap/rtr/afp

Leia mais