1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Crise se agrava na Macedônia

Polícia dispara bombas de efeito moral em confronto com milhares de migrantes que tentam entrar no país a partir da Grécia. Região dos Bálcãs é rota para muitos refugiados que buscam chegar ao norte da Europa.

Forças policiais da Macedônia entraram em confronto, na madrugada desta sexta-feira (21/08), com cerca de 5 mil de refugiados que tentavam atravessar a fronteira do país, vindos da Grécia.

A polícia, posicionada em uma ferrovia próxima a Gevgelija, a 120 quilômetros da capital Escópia, atirou granadas de gás lacrimogêneo e bombas de efeito moral para afugentar os migrantes, segundo informou a rede de televisão A1 TV.

Em meio à confusão, centenas de refugiados tentaram entrar no país, mas acabaram cercados. No dia anterior, a Macedônia havia fechado a fronteira para migrantes e pedido aos militares que impedissem a entrada deles.

A fronteira se tornou ponto de conflito após migrantes que entraram na Europa através da Grécia, vindos do Oriente Médio e da África, tentarem chegar aos países do norte do continente. A travessia da Macedônia é um dos meios mais rápidos e seguros de realizar essa jornada.

A Macedônia justificou a proteção de sua fronteira afirmando que deseja aumentar a segurança dos assentamentos na região e lidar de modo mais eficiente com o aumento acentuado de refugiados que tentam cruzar seu território. O país dos Balcãs declarou, nesta quinta-feira, estado de emergência em suas fronteiras no norte e no sul.

A quantidade de pessoas que se encontram sem condições adequadas na zona neutra entre a Grécia e a Macedônia – a maior parte na ferrovia entre Tessalônica e Escópia – já chega a 4 mil. Um número ainda maior de migrantes deve chegar à região, uma vez que no dia anterior diversas embarcações de grande porte chegaram ao país vindas da Turquia

A cidade de Gevgelija é a mais afetada pela crise migratória. Milhares de pessoas superlotam há dias a estação de trens da cidade na tentativa de conseguir viajar até a fronteira com a Sérvia, a 200 quilômetros dali.

Desde o início do ano, a Macedônia registrou a entrada de 44 mil migrantes. Os refugiados são, na maioria, vindos da Síria, além de muitas pessoas de Afeganistão e Paquistão. A maior parte tenta chegar à Alemanha e outros países mais ricos da União Europeia. Menos de 50 refugiados pediram asilo à Macedônia em 2015.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) criticou o fechamento da fronteira por parte da Macedônia. "Estes são refugiados em busca de proteção e não podem ser impedidos de fazê-lo", afirmou a porta-voz da instituição, Melissa Fleming. Ela pediu que a Europa ajude a Macedônia e a Sérvia, que enfrenta problemas semelhantes.

RC/dpa/rtr

Leia mais