1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Criminalidade na Alemanha não aumenta com refugiados, mostra estudo

Ministro do Interior afirma que refugiados cometem tão poucos crimes como a atual população. "A maioria não comete delitos. Eles procuram proteção e paz na Alemanha."

default

Milhares de refugiados chegam a fronteira da Alemanha de ônibus

O elevado ingresso de imigrantes não levou a um aumento na mesma proporção da criminalidade na Alemanha, afirmou nesta sexta-feira (13/11) o Departamento Federal de Investigações (BKA). Segundo um estudo, a alta no número de infrações cometidas é menor do que aumento no número por refugiados.

O ministro do Interior, Thomas de Maizière, afirmou que, segundo as estatísticas, os refugiados cometem, em média, tão poucos crimes como a atual população alemã. "A maioria deles não comete delitos. Eles procuram proteção e paz na Alemanha", disse.

O ministro solicitou ao BKA um relatório sobre o tema no início de outubro, para acabar com "boatos sobre o aumento da criminalidade". De Maizière ressaltou ainda que não houve um aumento "desproporcional" na criminalidade. "Precisamos mostrar fatos para evitar que extremistas ganhem apoio com boatos e meias verdades", acrescentou.

Segundo o ministro, Sérvia, Kosovo e Macedônia são os países de origem da maioria dos requerentes de asilo suspeitos de terem cometido delitos. Roubo, crimes contra o patrimônio e falsificações são os crimes mais cometidos por refugiados e representam 67% do total. Delitos sexuais não chegam a 1%, e homicídio corresponde a 0,1% dos casos.

Já entre os crimes cometidos contra refugiados estão roubos, furtos e lesões corporais. O relatório mostrou também que houve um aumento significativo na criminalidade em centros de registro para migrantes.

De Maizière disse que não há razão para uma preocupação "exagerada sobre o aumento da criminalidade" com a chegada de requerentes de asilo e refugiados e acrescentou que autoridades de segurança trabalham para que a situação permaneça assim.

CN/rtr/dpa/afp/epd

Leia mais