Criador da internet teme que rede seja transformada em arma | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 13.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internet

Criador da internet teme que rede seja transformada em arma

Inventor da World Wide Web alerta para disseminação de notícias falsas e discurso de ódio em plataformas online e redes sociais, e defende estabelecimento de uma estrutura legal e regulatória.

O físico britânico Tim Berners-Lee, conhecido por ter inventado a internet há 29 anos, defende que as grande plataformas online e as mídias sociais sejam reguladas para evitar que a web seja "transformada em arma".

Em carta aberta à comunidade global online, ele afirma que "um novo tipo de gatekeeper [porteiro]” controla a disseminação de ideias e opiniões. "O fato de que o poder está concentrado em tão poucas empresas faz com que seja possível transformar a web em arma", afirmou Berners-Lee. 

"Nos últimos anos, vimos teorias da conspiração virarem tendência em plataformas de mídia social, perfis falsos no Twitter e Facebook alimentarem tensões sociais, atores externos interferirem em eleições e roubos criminosos de grande quantidade de dados pessoais”, observou Berners-Lee, justificando o pedido por maior regulamentação das ferramentas online.

Tim Berners-Lee

Berners-Lee: "O fato de que o poder está concentrado em tão poucas empresas faz com que seja possível transformar a web em arma"

O alerta foi feito num momento em que governos europeus desenvolvem legislações que visam reduzir a disseminação de notícias falsas e o discurso de ódio, que temem estar minando as bases da democracia.

Na Alemanha, entrou vigor no dia 1º de janeiro uma lei que prevê multas de até 50 milhões de euros para as plataformas que não conseguirem remover mensagens de ódio dentro de 24 horas.  ´

O governo francês está trabalhando numa legislação que visa dar poder aos juízes para ordenar a retirada de conteúdos com informações falsas durante campanhas eleitorais.

A Comissão Europeia informou plataformas online de que devem encontrar meios de remover conteúdos de cunho extremista dentro de uma hora após serem notificadas.

A Web Foundation de Berners-Lee, que defende uma internet mais aberta e inclusiva, questiona se empresas criadas para maximizar os lucros podem lidar adequadamente com o problema, de modo voluntário.

"Uma estrutura legal e regulatória que represente objetivos sociais pode ajudar a minimizar esses problemas”, disse o criador da internet.

Sobre o uso de dados pessoais de usuários para anúncios publicitários voltados aos seus perfis, Berners-Lee disse que é necessário encontrar um equilíbrio entre os interesses das empresas e os cidadãos online.

"Isso significa pensar em como alinhar os interesses do setor tecnológico com os dos usuários e da sociedade em geral, além de consultar diversas camadas da sociedade nesse processo."

RC/dpa/rtr

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais