1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Críticos formam grupo de apoio para seleção alemã

Mau desempenho da equipe e críticas dos dirigentes de clubes ao técnico Klinsmann – residência na Califórnia, rotação de goleiros – foram os temas de um encontro em Frankfurt.

default

O técnico alemão (de vermelho)quer manter sua equipe

Mau desempenho da equipe e críticas dos dirigentes de clubes ao técnico Klinsmann – residência na Califórnia, rotação de goleiros – foram os temas de um encontro em Frankfurt.

A reunião entre a equipe técnica dirigida por Jürgen Klinsmann e seus críticos, nesta terça-feira (26/10), aconteceu na sede da Liga Alemã de Futebol, em Frankfurt, e teve a participação ainda dos dirigentes da Federação Alemã de Futebol (DFB), da Liga (DFL)e cartolas dos principais clubes alemães.

Os 17 participantes do encontro decidiram criar uma task force, equipe de apoio ao técnico Jürgen Klinsmann, formado, entre outros, pelos principais críticos do treinador alemão: Uli Hoeneß (Bayern de Munique), como porta-voz, Rudi Assauer (Schalke) e Klaus Allofs (Werder Bremen).

"Não tenho problema em discutir em voz alta numa mesa de debates com pessoas de opinião diferente da minha", comentou Klinsmann, 41, em relação à comissão, que foi formada pela primeira vez há cinco anos. Embora o técnico tenha conseguido se impor no tocante à manutenção de sua moradia nos Estados Unidos e a rotação de goleiros pelo menos até o final do ano, ele foi duramente criticado em Frankfurt. Karl-Heinz Rummenigge, do Bayern, revelou que as diferenças eram muito grandes e justificou os xingamentos: "A discussão aconteceu no momento certo. Ambos os lados cederam muito".

Apesar das críticas dos dirigentes e técnicos, os alemães gostam de Klinsmann: uma pesquisa de opinião do Instituto Forsa revelou que 57% o consideram o técnico ideal para a Alemanha. Apenas 14% o acham inadequado. Por outro lado, 54% são de opinião que o técnico da seleção alemã deve residir na Alemanha no ano da Copa, enquanto 27% acham isso desnecessário. (rw)

Leia mais