1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Costa Concordia inicia sua última viagem

Dois anos e meio depois do acidente que deixou 32 mortos, o navio de cruzeiro encalhado na costa da Itália começa a ser levado para Gênova, onde vai virar sucata.

O navio Costa Concordia começou nesta quarta-feira (23/07) a ser rebocado das proximidades da ilha de Giglio, na Itália, onde havia naufragado há cerca de dois anos e meio. Depois de várias semanas de trabalho para elevar o navio e colocá-lo em condições de navegar, finalmente ele começou a ser rebocado para a cidade italiana de Gênova, onde será transformado em ferro-velho.

Em janeiro de 2012, o Costa Concordia, um navio de cruzeiro, bateu numa pedra e naufragou perto da ilha italiana. No acidente morreram 32 pessoas, e mais de 60 ficaram feridas. A embarcação voltou a flutuar depois de as equipes de resgate injetarem ar em 30 flutuadores, fixados ao navio, que tem 300 metros de comprimento e pesa 115 mil toneladas.

A operação de resgate é uma das maiores já feitas para recuperar um navio e tem custo total de 1,5 bilhão de euros.

A viagem se iniciou por volta do meio-dia (horário local) e segue a uma velocidade de 3,7 quilômetros por hora (mais ou menos a mesma de uma pessoa caminhando), com previsão de chegada ao destino entre a noite de sábado e a manhã de domingo. Quatorze embarcações acompanham a operação.

O chefe da agência de proteção civil da Itália, Franco Gabrielli, disse que só se pode festejar o sucesso da operação quando o navio chegar a Gênova. A viagem será acompanhada de perto por especialistas, para evitar derramamento de líquidos tóxicos. O governo da França está preocupado que o navio possa causar danos à Ilha de Córsega, que fica próxima da rota da viagem.

Em Gênova, o navio será desmanchado e reciclado. Os trabalhos de desmantelamento devem durar dois anos e empregar quase mil pessoas. Entre 40 mil e 50 mil toneladas de aço devem ser recicladas.

O Costa Concordia tinha mais de 4 mil pessoas a bordo no momento do acidente e, dos 32 mortos, um corpo nunca foi recuperado. Um mergulhador morreu na operação de resgate.

O capitão do navio, Francesco Schettino, que ganhou manchetes em todo o mundo por ter abandonado a embarcação antes dos passageiros, está sendo julgado por homicídio culposo. A imprensa italiana publicou fotos dele, nesta quarta-feira, num jantar na ilha de Ísquia, parecendo bronzeado e relaxado.

Costa Concordia Abtransport nach Genua 23.07.2014

Operação atraiu curiosos na ilha de Giglio

BA/ap/afp/dpa/lusa

Leia mais