1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Corte de Haia confirma prisão perpétua para figuras-chave de Srebrenica

Tribunal da ONU confirma sentenças de 2010 contra Vujadin Popovic e Ljubisa Beara, militares de alto escalão envolvidos no assassinato, há 20 anos, de 8 mil muçulmanos na Guerra da Bósnia.

Srebrenica Massaker Berufung Beara und Popovic 30.01.2015 Den Haag

Vujadin Popovic (esq.) e Ljubisa Beara (2° à esq.) no Tribunal Penal Internacional para a ex-Iugoslávia

Passados quase 20 anos do massacre na cidade bósnia de Srebrenica, o Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia (TPII), sediado em Haia, confirmou nesta sexta-feira (30/01) a condenação à prisão perpétua de dois ex-oficiais sérvio-bósnios por envolvimento nos crimes.

Vujadin Popovic, de 57 anos, e Ljubisa Beara, de 75, haviam sido condenados em primeira instância em 2010 por genocídio e crimes de guerra e contra a Humanidade.

Os dois eram altos oficiais do Exército sérvio-bósnio, que é responsabilizado pelo massacre, em julho de 1995, de cerca de 8 mil muçulmanos em Srebrenica. O episódio é considerado o mais grave crime de guerra em solo europeu desde a Segunda Guerra Mundial.

Na ocasião, unidades sérvio-bósnias, sob o comando do então general Ratko Mladic, adentraram a zona de proteção sob responsabilidade da ONU durante a Guerra da Bósnia. Sob os olhos dos soldados holandeses estacionados na região, os prisioneiros foram levados para uma floresta, onde foram assassinados.

Em outubro do ano passado, o TPII declarou o governo holandês civilmente culpado pela morte de mais de 300 muçulmanos durante o conflito.

Outros três oficiais também foram condenados nesta sexta-feira, a penas de 13,18 e 35 anos de reclusão. Com as sentenças, chega ao fim depois de nove anos o processo mais abrangente de julgamento dos crimes de Srebrenica.

CA/dpa/lusa/ap

Leia mais