1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Sua Opinião

CORRUPÇÃO NAS EMPRESAS ALEMÃS

Empresários e corrupção, universidades pagas, aquecimento global, dialetos, eleições na França e o Selo Social foram os temas sobre os quais nossos leitores opinaram esta semana. Leia aqui!

default

Doce ilusão, a corrupção não é exclusividade dos países subdesenvolvidos, ela é só mal disfarçada. Nas economias desenvolvidas, a corrupção é bem melhor dissimulada e, pelo que li, muito maior do que a nossa. Felizmente os corruptos brasileiros ainda são muito amadores, se contentam ainda em ostentar coisas que os corruptos europeus já superaram há muito tempo. Deus nos livre dos corruptos, que do resto a gente se livra sozinho.
Antonio Carlos Siqueira Campos

Na minha opinião, prender executivos não é a solução, pois existe o comprado e o comprador. Acho que precisa prender também quem pagou a propina. O importante é que a empresa não deixe as margens de negociação somente com uma pessoa como responsável.

No mercado financeiro/comercial é comum se comprar dossiês do concorrente para saber o preço e fazer a negociação com margem grande de lucros. Não existem inocentes! De repente o executivo preso pode não ter agido sozinho, somente acompanhou e naturalmente levou vantagens financeiras.

Como brasileira sempre achei que isto só acontecia no Brasil. É uma surpresa saber que no mundo todo tem malandragem financeira, e principalmente na Alemanha. A globalização tem o seu preço!
Maria Angélica Muller

Não seria diferente na Alemanha do que ocorre no resto dos outros países capitalistas que adotaram o capitalismo ultraliberal. Este maléfico modelo socioeconômico ensinado ("imposto") pelo "Uncle Sam" nos ensina a "nova filosofia" de vida que é baseada na tríade chamada MMM: "Money, Money, Money!"
Marcelo Jordão Ubaiz


TAXAS NAS UNIVERSIDADES ALEMÃS
Não concordo com a cobrança dessa taxa, entre outros motivos porque a partir desse momento a lei de que todo o ser humano (pelo menos o cidadão alemão) tem o direito de conseguir fazer sua própria sorte está sendo infringida. O cidadão não tem condições de garantir um lugar numa universidade por problemas financeiros, mas não consegue sair do problema financeiro porque não pode aumentar seu potencial através do ensino, isso é um círculo vicioso.

Muitos países já aderiram a essa cobrança de taxa e o resultado é sempre o mesmo: o aumento da desigualdade social. Nós, a atual geração de estudantes, somos os precursores desse futuro que virá contra nossa vontade. Pelo menos ninguém vai poder dizer que não tivemos a iniciativa de tentar impedi-lo!
Jaqueline Meireles dos Passos-Knabe

Em parte concordo com as taxas e em parte não. Acho que se as universidades alemãs começarem a cobrar muito caro, as mentes brilhantes não só do exterior como também da Alemanha que não tenham dinheiro para pagar irão com certeza estudar em outros países com bolsa!

Talvez pudesse haver um meio-termo como há no Brasil em relação às universidades particulares. O aluno que não pode pagar a universidade se candidata a uma bolsa de estudo, sendo que depois de formado tem que pagar isso ao governo, quando começar a trabalhar. Além disso, acho que não é o pagamento que melhora o ensino. É todo um conjunto de fatores. Só bens materiais não resolvem o problema. O que tem que haver mesmo é a boa formação do corpo docente e isso não significa só conhecimento técnico da matéria que se ensina e sim também a parte humana, social e psicológica.
Julia Rosa Bruno Madeira

Eu não pagaria. Gradualmente o Estado está deixando algumas prioridades importantes as quais sempre teve como um dever, e iniciando e estabelecendo a construção das bases da destruição e da ignorância. Uma nação que está restringindo o acesso a uma universidade pública a um restrito grupo com maior poder aquisitivo fomenta a formação de uma nova elite dominante que sobreviverá à base da ignorância dos menos favorecidos visto que esta cobrança veio para esconder os roubos que existem em outros setores do governo.
Michael Czajka

AQUECIMENTO GLOBAL

Bem, tenho apenas 20 anos e não entendo muito bem o que está acontecendo no mundo pelo aquecimento global, mas estou superpreocupado com o futuro, e o que pode ocorrer com o mundo daqui a 5 anos, 10 anos, 50 anos, 1 século. Muitos dizem que daqui a 50 anos o mundo não será mais o mesmo, concordo...

Sei que estão tentando retardar o "fim", mas será difícil, pois a cada dia existe mais e mais poluição, os países capitalistas só pensam no lucro em curto prazo, jogando no ar gases fatais. Eles não pensam em seus filhos, netos etc. Espero que recebam esta mensagem de um simples cidadão brasileiro preocupado com o mundo.
Bruno Vinicius

Não adianta lamentarmos pelo leite derramado, a sociedade deverá cobrar mais dos países desenvolvidos e dos países em desenvolvimento. Tem que haver uma parceria entre todos os países, para que não aconteça futuramente o que aconteceu em 2005, que foi o tsuname. Uma das maiores catástrofes de todos os tempos.
Carlos Augusto Santos Machado

SELO SOCIAL
O Selo Social é uma farsa. Numa tentativa de incluir os pequenos produtores na cadeia do biodiesel, o governo criou incentivo para as empresas que utilizarem matéria-prima produzida pela agricultura familiar. Lamentavelmente as empresas não vão diferenciar o preço pago aos produtores, o que evidencia que elas se apropriarão dos incentivos governamentais. É uma das maiores transferências de recursos do Estado para alguns industriais já feita na história do Brasil.

A alternativa seria obrigar as empresas a incluir como proprietários os pequenos produtores para que estes pudessem usufruir dos resultados da cadeia toda e não apenas da parte de risco que é a produção da matéria-prima (mamona, girassol, soja etc). Lamento, mas não vejo nada de social no Selo Social.
Silvestre Becker

DIALETOS

Eu acho superinteressante cultivar o dialeto. É uma língua como qualquer outra "oficial" e merece respeito. A língua faz parte da identidade do indivíduo. Eu não entendo o porquê de discriminarem os dialetos, pois se discriminamos a língua, igualmente o fazemos com a pessoa.
Glaciela


MADAME ROYAL

Os franceses parecem desconhecer o que se passa na América Latina, onde a demagogia tomou conta de quase todos os países. Madame Royal se parece um tanto quanto com Lula e Kirchner, sem falarmos em demagogos declarados, como Chávez e Evo Morales, que vão enterrar, com as suas medidas marcadamente demagógicas, os seus países.
Antonio Carlos Siqueira Campos