Corpo de Prince é cremado em cerimônia restrita | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 24.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Corpo de Prince é cremado em cerimônia restrita

Funeral teve presença apenas de parentes e amigos mais próximos do cantor. Destino final das cinzas do artista deve ficar em sigilo. Resultado de autópsia sobre causa da morte deve sair dentro de um mês.

O corpo do músico americano Prince foi cremado neste sábado (23/04) em uma cerimônia privada, com presença apenas da família e de amigos mais próximos.

Segundo a porta-voz do artista, Anna Meacham, um grupo restrito de pessoas esteve presente na cerimônia de cremação. As cinzas deverão permanecer em local privado. "Os restos mortais de Prince foram cremados, e seu destino final será mantido em sigilo. Pedimos orações e manifestações de carinho para a família e amigos próximos neste momento", acrescentou.

Meacham disse que em breve será anunciada a data de um evento musical público em homenagem ao astro. Ela acrescentou que os resultados da autópsia sobre a causa da morte de Prince devem sair dentro de quatro semanas.

Prince morreu nesta quinta-feira, aos 57 anos. Ele foi encontrado morto dentro de sua mansão em Paisley Park, no estado de Minnesota.

O site TMZ tinha noticiado que Prince havia sido hospitalizado por causa de uma overdose seis dias antes de morrer.

Um dia depois da morte do cantor, a polícia de Minnesota descartou a hipótese de suicídio. "Não havia sinais óbvios de trauma no corpo", disse o xerife Jim Olson, cujo escritório é responsável pela investigação do caso. "Não temos nenhuma razão para acreditar neste momento que foi um suicídio. O restante está sob análise."

Questionada, em coletiva de imprensa, se o corpo de Prince apresentava indícios de uso de drogas, a porta-voz do escritório de médicos legistas responsável, Martha Weaver, afirmou não haver, naquele momento, indicação de overdose.

MD/elusa/dpa/afp

Leia mais