1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coreia do Sul registra primeiro dia livre de novos casos de Mers

Ministério da Saúde sul-coreano afirma acreditar que o surto do vírus respiratório está controlado. Número de mortos chega a 24 no país. Enquanto isso, Coreia do Norte anuncia descoberta da cura para Mers, ebola e Aids.

O Ministério da Saúde da Coreia do Sul anunciou, neste sábado (20/06), que pela primeira vez nos últimos 16 dias nenhum novo caso da

Síndrome Respiratória do Oriente Médio

(Mers) foi registrado no país. De acordo com o órgão, o número de mortos chegou a 24 e o de infecções confirmadas a 166.

O anúncio veio um dia após o Ministério afirmar que acreditava que o surto estava controlado. Na sexta-feira apenas um caso da doença foi confirmado.

Ainda segundo o Ministério, mais seis pacientes foram curados e deixaram o hospital, aumentando, assim, para 36 o número de pessoas que se recuperaram da Mers desde o registro do primeiro caso em 20 de maio. Atualmente 106 pessoas permanecem internadas no país com o vírus.

Coreia do Norte afirma ter descoberto cura

Enquanto a Coreia do Sul enfrenta a maior epidemia da doença registrada fora da Arábia Saudita, o governo da Coreia do Norte anunciou que desenvolveu um medicamento "muito eficiente" não somente para a Mers, como também para o ebola e a Aids.

De acordo com a agência de notícias estatal KCNA, a substância Kumdang-2 foi capaz de curar essas e outras doenças, para as quais pesquisadores do Ocidente até agora não conseguiram descobrir a cura.

"Vírus infecciosos malignos como Sars [Síndrome Respiratória Aguda Grave], ebola, Mers são doenças relacionadas ao sistema imunológico e podem ser facilmente tratadas com uma injeção da substância Kumdang-2, que restaura fortemente o sistema imunológico", afirmou a KCNA.

Segundo a agência de notícias, o principal ingrediente do medicamento é ginseng cultivado com fertilizantes misturado com terras raras. Apesar da descoberta que está sendo testada no país há mais de 25 anos, Pyongyang estabeleceu medidas de segurança em aeroportos e fronteiras para evitar que a epidemia chegue ao país.

CN/afp/rtr/ap

Leia mais