1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coreia do Norte faz novo teste com míssil

Coreia do Sul denuncia teste de projétil terra-ar e interferência em sinal de GPS. Ações ocorrem em meio a reuniões entre Obama e presidentes de Japão, Coreia do Sul e China sobre a questão nuclear.

A Coreia do Sul acusou nesta sexta-feira (01/04) a Coreia do Norte de disparar um míssil terra-ar e interferir em seus em sinais de GPS, um dia após o presidente dos EUA se reunir em Washington com seus colegas de Japão, Coreia do Sul e China para discutir a ameaça nuclear de Pyongyang.

A Coreia do Norte teria lançado o que os militares sul-coreanos afirmaram ser um míssil terra-ar na costa leste da península. O míssil voou cerca de 100 quilômetros antes de cair no mar, segundo a agência sul-coreana Yonhap.

O lançamento é o mais recente de uma série de testes de armamentos realizados por Pyongyang, em uma aparente resposta a exercícios militares conjuntos realizados por EUA e Coreia do Sul. A Coreia do Norte considera as manobras um ensaio de invasão.

Os exercícios, planejados para ocorrerem até o final de abril, são os maiores já realizados pelos dois países na região, tendo sido agendados após um teste nuclear e um de foguete de longo alcance feitos pela Coreia do Norte no início do ano.

Em Washington, o presidente Barack Obama se encontrou na quinta-feira com a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, e o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e se comprometeu a aumentar a pressão sobre a Coreia do Norte em reação a seus recentes testes nuclear e de mísseis.

Reunindo-se nos bastidores da Cúpula de Segurança Nuclear, os três líderes renovaram o compromisso com a segurança de seus respectivos países e alertaram que podem adotar novas medidas para se contrapor às ameaças de Pyongyang.

Obama também conversou com o presidente chinês, Xi Jinping, e ambos pediram que a Coreia do Norte desista de suas armas nucleares. A China também concordou em implementar na íntegra as últimas restrições econômicas impostas pelo Conselho de Segurança da ONU contra Pyongyang.

Na terça-feira, a Coreia do Norte disparou um míssil de curto alcance que caiu em terra no nordeste do país, de acordo autoridades de defesa sul-coreanas. O lançamento levou a especulações da mídia na Coreia do Sul de que Pyongyang pode ter usado um alvo em terra para testar a precisão de suas armas.

Em março, a Coreia do Norte disparou seu

primeiro míssil de médio alcance

no mar desde o início de 2014.

Além de

testes com mísseis e disparos de artilharia

, a Coreia do Norte também tem feito repetidas

ameaças de ataques nucleares

contra Seul e Washington.

Também nesta sexta-feira, a Coreia do Sul responsabilizou a Coreia do Norte por interferir nos seus sinais de GPS, chamando a medida de uma provocação. Não houve relatos de interrupções significativas no aparato militar sul-coreano. Meios de comunicação informaram que alguns barcos de pesca sofreram problemas em seus sistemas de navegação.

O sinal de interferência, que também foi detectado na quinta-feira, afetou 58 aviões e 52 barcos sul-coreanos, segundo a agência Yonhap, citando o Ministério das Comunicações sul-coreano. A primeira anomalia foi observada no início de março, quando dois aviões relataram o bloqueio, mas não interromperam seus voos.

"Se a interferência no sinal de GPS causar danos reais aos aviões ou navios da Coreia do Sul, vamos fazer o Norte pagar o preço devido", avisou o porta-voz do ministério, Lua Sang-gyun.

MD/dpa/ap/rtr

Leia mais