1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coreia do Norte dispara mísseis de curto alcance

Disparos em direção ao Mar do Japão são resposta a exercícios militares conjuntos iniciados pelos Estados Unidos e a Coreia do Sul. Em retaliação, Pyongyang promete "ataques impiedosos".

A Coreia do Norte disparou na manhã desta segunda-feira (02/03) dois mísseis de curto alcance em direção ao mar e prometeu "ataques impiedosos" em retaliação ao início dos exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul.

Os lançamentos foram acompanhados por um aviso do Exército Popular da Coreia do Norte. "A situação na península coreana está, mais uma vez, muito próxima de uma guerra", divulgou a agência estatal de notícias norte-coreana KCNA, citando uma fonte militar.

O Exército sul-coreano informou que os dois mísseis norte-coreanos, com um alcance de cerca de 500 quilômetros, foram disparados a partir da cidade portuária de Nampo, situada na costa ocidental, a cerca de 60 quilômetros a sudoeste da capital Pyongyang. Eles atravessaram o país e caíram no mar ao longo da costa oriental.

Pyongyang conduz regularmente tais testes, disparando mísseis, foguetes e projéteis e expressando, assim, a insatisfação do país frente às ações de Washington e Seul. Resoluções da ONU, no entanto, proíbem a realização de testes com mísseis balísticos por parte da Coreia do Norte.

Ensaio para invasão

Para Pyongyang, os exercícios militares anuais dos Estados Unidos e da Coreia do Sul são ensaios para uma invasão de seu território. Os dois aliados afirmam que as manobras são puramente defensivas.

Os exercícios militares conjuntos iniciados nesta segunda-feira, denominados de Foal Eagle, vão durar oito semanas, abrangendo manobras aéreas, terrestres e marítimas, para as quais foram mobilizados 200 mil soldados sul-coreanos e 3.700 americanos.

A partir desta segunda-feira também tem início um exercício conjunto de simulações, chamado de Key Resolve, envolvendo 10 mil soldados da Coreia do Sul e 8.600 dos EUA.

As duas Coreias continuam tecnicamente em estado de guerra, uma vez que o conflito de 1950-1953 terminou com um armistício, mas não com um tratado de paz.

As relações entre os dois vizinhos deterioraram-se a partir de 2010, com o torpedeamento de uma embarcação da Marinha sul-coreana, deixando 46 mortos, e o bombardeamento de uma ilha sul-coreana, que deixou quatro mortos. Ambos os ataques foram atribuídos à Coreia do Norte.

CA/dpa/lusa/ap/afp

Leia mais