1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Coreia do Norte declara "estado de quase guerra"

Após escalada das tensões com a Coreia do Sul, Kim Jong-un põe tropas norte-coreanas de prontidão. Pyongyang exige que Seul interrompa transmissões contra o seu regime, através de alto-falantes instalados na fronteira.

O líder norte-coreano Kim Jong-un declarou nesta sexta-feira (21/08) que suas tropas estão em estado de "quase guerra" e ordenou que elas se preparassem para possíveis combates, um dia após o mais grave confronto entre as Coreias do Sul e do Norte nos últimos anos.

Nesta quinta-feira, militares sul-coreanos lançaram dezenas de projéteis além da fronteira com a Coreia do Norte, em resposta a supostos ataques do país vizinho. Os norte-coreanos haviam ameaçado anteriormente atacar alto-falantes instalados por Seul próximos à fronteira entre os dois países, os quais transmitem mensagens contra o regime de Pyongyang.

Pyongyang afirma que projéteis de artilharia sul-coreanos caíram próximos a quatro postos militares, mas não deixaram feridos. A Coreia do Norte diz que não efetuou disparos contra o sul – alegação que é considerada absurda por Seul.

Kim Jong-un ordenou que suas tropas "entrem em estado de guerra" e estejam prontas para uma operação militar a partir desta sexta-feira, segundo informou a agência oficial de notícias da Coreia do Norte.

O país estabeleceu a noite de sábado como prazo para que Seul remova os alto-falantes que, após um silêncio de 11 anos, reiniciaram recentemente as transmissões de mensagens anti-Pyongyang. Os sul-coreanos afirmam que irão prosseguir com as transmissões.

A imprensa norte-coreana afirma que "comandantes militares foram despachados com urgência para as operações de ataque às instalações de guerra psicológica da Coreia do Sul, caso Seul não interrompa as transmissões".

As transmissões sul-coreanas seriam uma forma de retaliação, após o país acusar Pyongyang de instalar minas terrestres, que feriram gravemente dois de seus soldados no início de agosto. A Coreia do Norte também nega essa acusação.

As Forças Armadas da Coreia do Sul alertaram nesta sexta-feira que os norte-coreanos devem evitar "atos precipitados", caso contrário, enfrentarão punições severas.

Citando fontes não identificadas do governo, a agência de notícias sul-coreana Yonhap informou que sistemas de vigilância da Coreia do Sul e dos Estados Unidos detectaram na Coreia do Norte o movimento de veículos carregando mísseis de curto e médio alcance, o que poderia ser uma preparação para um ataque. O Ministério da Defesa sul-coreano não confirmou a informação.

RC/ap/afp

Leia mais