Coprodução entre Alemanha e Polônia lembra eclosão da Segunda Guerra | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 30.08.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Coprodução entre Alemanha e Polônia lembra eclosão da Segunda Guerra

Sete décadas após a invasão da Polônia por Hitler, fato que desencadeou o início da Segunda Guerra, projeto da Deutsche Welle e da TVP polonesa tratam deste capítulo negro na história dos dois países.

default

Setembro de 1939: polonesa pranteia irmã morta por bombardeios alemães

Na última quarta-feira (26/08), o documentário Hitlers Angriff – Wie der Zweite Weltkrieg begann (O ataque de Hitler – como a Segunda Guerra começou), produzido para televisão, teve sua estreia no Instituto Polonês, em Berlim. Setenta anos depois da invasão da Polônia pelas tropas alemãs, cineastas da Alemanha e da Polônia desenvolvem juntos um projeto sobre este fato histórico, tendo como ponto de partida perspectivas distintas.

"Estamos muito satisfeitos que tenha havido, agora, um filme coproduzido por poloneses e alemães sobre a invasão da Polônia. Setenta anos depois são realmente suficientes para que seja encontrada uma linguagem comum. Fico feliz que a cooperação com os colegas poloneses tenha dado tão certo", afirmou Christoph Lanz, diretor da Deutsche Welle TV.

Para Agnieszka Romaszewska-Guzy, que participou do projeto em nome da emissora polonesa TVP Polonia, "é preciso, 70 anos depois da eclosão da guerra, voltar mais uma vez os olhos para esta que foi uma das maiores tragédias da nossa história, baseando-se em fatos e no saber e não em preconceitos e mitos".

Segundo ela, já chegou a hora de a Alemanha e a Polônia encontrarem um olhar comum frente a esses acontecimentos hediondos. "Temos que estar em condições de aprender com o que ocorreu", diz ela, ao ressaltar que a história não deve ser esquecida.

Testemunhos de sobreviventes

O documentário mostra como um bombardeio da Força Aérea alemã destruiu completamente a pequena cidade polonesa de Wielun, no dia 1° de setembro de 1939. Isso ainda antes da manobra na península de Westerplatte pelo navio alemão Schleswig-Holstein (que teoricamente teria por função apenas a formação marinha e náutica), em operação que ficou conhecida como "Plano Branco" é considerada até hoje o início oficial da Segunda Guerra Mundial.

Os diretores do documentário – Peter Bardehle e Nadine Klemens, da Alemanha, e Michal Nekanda-Trepka e Jan Strekowski, da Polônia – centram o filme em depoimentos de sobreviventes.

O bombardeio a Wielun ajuda a construir a dramaturgia do filme, contado pelos dois lados: o dos soldados alemães e o da população polonesa. Mesmo 70 anos mais tarde, eles conseguem relatar suas lembranças do dia em que eclodiu a Segunda Guerra.

"Quase um milagre"

No filme, historiadores de renome situam, além das vivências pessoais relatadas pelos testemunhos, também os acontecimentos de agosto e setembro de 1939 na fronteira entre Alemanha e Polônia, sob a luz da política internacional. Entre os especialistas que participam do documentário estão Dieter Bingen, diretor do Instituto Alemão-Polonês em Darmstadt, e Norman Davies, historiador que vive em Oxford e Varsóvia.

Davies, autor do clássico Europe at War 1939-1945: No Simple Victory (Europa na Guerra: 1939 e 1945. Uma Vitória Nada Simples), dedica-se especialmente à percepção da Segunda Guerra Mundial sob a perspectiva do Leste Europeu, trabalhando ao lado de Viktor Sovorov, ex-agente da KGB, que pesquisa há anos o pacto Hitler-Stalin.

"Também em 2009, precisamos chamar a atenção, no discurso alemão-polonês, para a memória do que realmente aconteceu", diz Bingen. Segundo ele, sob a lembrança da política nazista para a Polônia, é hoje quase um milagre o fato de que alemães e poloneses "mantenham uma relação relativamente amistosa".

SV/dw

Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais