1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Copa do Mundo

Copa do Mundo marca aposentadoria de estrelas do futebol

Se o atacante italiano Francesco Totti confirmar sua vontade de se aposentar do futebol internacional, estará se juntando a um rol de jogadores que anunciaram o fim de suas carreiras nas seleções, após a Copa do Mundo.

default

Em sua última partida, Kahn ajudou com boas defesas

Oliver Kahn, Roberto Carlos, Figo, Pauleta são algumas das figuras que já declararam pendurar as chuteiras pelas suas seleções. Já o francês Zinedine Zidane está parando de vez com o futebol.

"Há muito treinamento de campo, muito estresse – é uma época em que penso mais na família", disse o jogador italiano tetracampeão, de 29 anos, capitão do AS Roma, de acordo com o jornal Gazzetta dello Sport. "É difícil sair neste momento. Eu diria que minhas chances [de ficar] são 50%."

Totti se recuperou de uma séria lesão no tornozelo para ajudar a Itália a conquistar a Copa e ser tetracampeã. O último título italiano fora em 1982. O atacante já fez 51 partidas com a camisa da seleção e marcou 8 gols.

Após a reserva, o descanso

Eleito melhor jogador da Copa de 2002, o goleiro alemão Oliver Kahn, 37 anos, teve que amargar o banco de reservas no Mundial em seu país. Preterido pelo técnico Jürgen Klinsmann, o goleiro do Bayern de Munique assistiu calado e chateado a Jens Lehmann defender bem o gol alemão.

Como consolação, na disputa pelo terceiro lugar, Kahn foi o titular e teve boa atuação. A Alemanha venceu Portugal por 3 a 1 e ficou sabendo que aquele seria o último jogo do goleiro com a camisa da seleção. "Foi minha última partida hoje e eu não poderia ter desejado um último jogo pelo meu país melhor que este", declarou na ocasião, dia 8 de julho. "Foi uma época boa, mas é preciso saber o momento de parar."

Vilão se aposenta

WM 2006 Brasilien Roberto Carlos

Falha em lance do gol francês tornou Roberto Carlos culpado pela eliminação

O lateral-esquerdo do Brasil Roberto Carlos declarou em meio a inúmeras críticas que não joga mais pela seleção brasileira. Culpado pela eliminação do time nas quartas-de-final da Copa do Mundo – o jogador não marcou o francês Thierry Henry no lance que resultou no gol da França – Roberto Carlos rejeitou a acusação.

"Eu fiz de tudo para vencer. Apenas aqueles que estão lá dentro entendem a pressão e as dificuldades que existem em uma Copa do Mundo.", declarou o jogador de 33 anos. "Minha história na seleção está terminada", completou. Roberto Carlos jogou 128 partidas pela seleção e marcou dez gols.

De cabeça

Uma atitude injustificável manchou a despedida do futebol de um dos maiores astros do esporte: num lance longe da bola, o capitão francês Zinedine Zidane respondeu às provocações do defensor italiano Materazzi com uma cabeçada no peito do adversário. Avisado pelo quarto auxiliar, o juiz expulsou o francês.

WM06 Frankreich - Italien Zineidine Zidane geht am Pokal vorbei nachdem er für ein grobes Foul die Rote Karte bekommen hatte

Zidane manchou sua despedida

O palco que veria a despedida do grande capitão acabou testemunhando uma tragédia: com Zidane expulso, a França, que estava melhor no jogo, se desestabilizou na partida e acabou perdendo o título para a Itália nos pênaltis. E o maior jogador francês será para sempre lembrado pela sua atitude intempestiva.

Zidane disputou 108 partidas pela seleção francesa. Marcou 31 gols. Comandou sua equipe na conquista de uma Copa do Mundo, de uma Eurocopa e de um vice-campeonato mundial. Foi eleito três vezes pela Fifa como o melhor jogador de futebol do mundo (1998, 2000 e 2003). Encerrou sua carreira aos 34 anos como o melhor jogador da história da França e da Copa.

Adeus em dobro em Portugal

Enquanto Luis Felipe Scolari declara seu agradecimento e desejo de seguir treinando Portugal, seus dois principais jogadores dizem adeus ao time.

WM Fußball Portugal Luis Figo

Capitão Figo desfalca seleção portuguesa

Aos 33 anos e com 127 partidas, Luis Figo anunciou que o jogo contra a Alemanha, na disputa do terceiro lugar, foi sua última partida pela seleção. No entanto, o jogador já havia dito a mesma coisa há dois anos. Considerado exemplo dentro do time, assim como o francês Zidane, Figo teve uma atuação polêmica no violento jogo contra Holanda, nas quartas-de-final, acertando uma cabeçada no rosto de um jogador adversário.

Os portugueses vão dizer ainda adeus ao atacante Pauleta. Menos ilustre que Figo, o jogador tem no seu currículo 47 gols marcados em 88 partidas, tornando-se assim o maior goleador da seleção de Portugal.

Menos tradicionais

O veterano meio de campo da República Tcheca Karel Poborsky também disse que larga o futebol internacional. "Sou muito agradecido pelo que vivenciei na seleção, mas decidi parar", disse o jogador de 34 anos. No seu currículo ele tem 118 aparições e oito gols marcados pelo seu país.

Top-Spieler WM06 Confed-Cup Japan Hidetoshi Nakata

Moda e estudos são prioridades de Nakata

Do outro lado do mundo, o anúncio de aposentadoria veio do meio-campista japonês Hidetoshi Nakata, astro da seleção. Aos 29 anos, ele surpreendeu ao dizer que não vai mais jogar pela seleção e que seu objetivo agora é obter um MBA (mestrado) em administração de empresas na prestigiosa universidade norte-americana de Harvard.

Além de ser um dos melhores jogadores do time, Nakata ficou famoso pelas excentricidades. Comprou um prédio de 120 anos no bairro Soho, em Nova York, por quase 9 milhões de dólares. Também é famoso por suas roupas modernas e cabelos coloridos. Aliás, ele ainda tem intenção de lançar uma marca de roupas com seu nome. Realmente, futebol é sua última preocupação.

Ele foi o primeiro japonês a jogar por um clube europeu depois da Copa de 1998. Antes dele, Yasuhiko Okudera jogara por nove anos na Bundesliga, até 1985. Nakata passou sete anos na Itália, jogando pelo Perugia, AS Roma, Parma, Bologna e Fiorentina.

Por fim, o capitão norte-americano Claudio Reyna também declarou que não mais defenderá a seleção. Prestes a completar 33 anos, ele disse que seria muito difícil manter o mesmo nível de rendimento por mais quatro anos.

Leia mais