Contaminações com bactéria agressiva são registradas também em países do norte europeu | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 26.05.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Contaminações com bactéria agressiva são registradas também em países do norte europeu

Biólogos alemães localizaram origem de bactéria causadora de infecção intestinal que já matou pelo menos três no país. Germe foi detectado em pepinos espanhóis. Confirmados casos em outros países do norte europeu.

Frische Gurken werden am Dienstag, 30. Juni 2009, von einem Haendler in Puchheim angeboten. Die beruehmt-beruechtigte Vorschrift ueber den Kruemmungsgrad von Gurken gilt ab Mittwoch, 1. Juli 2009 nicht mehr. Auch die Vermarktungsnormen fuer zwei Dutzend weitere Obst- und Gemuesesorten wurden gestrichen.(AP Photo/Christof Stache) --- Fresh cucumbers are offered at a market in Puchheim, southern Germany, on Tuesday, June 30, 2009. (AP Photo/Christof Stache)

Biólogos detectaram germe em pepinos espanhóis

Autoridades sanitárias da Alemanha anunciaram nesta quinta-feira (26/05) ter encontrado uma fonte da bactéria agressiva causadora de infecções intestinais que já mataram pelo menos três pessoas no país. O germe foi detectado em quatro pepinos. Três deles são provenientes da Espanha, a origem do quarto ainda não foi esclarecida.

O anúncio foi feito pela secretária de Saúde de Hamburgo, cidade onde foram encontrados os legumes, Cornelia Prüfer-Storcks. Ela desaconselhou o consumo do vegetal nos próximos dias e disse que as mercadorias suspeitas contaminação serão retiradas do mercado.

Homem encontrado morto

Prüfer-Storcks afirmou que bombeiros encontraram na terça-feira um homem de 38 anos morto em seu apartamento em Hamburgo. Legistas atestaram que a morte foi provocada por uma infecção intestinal. Entretanto, ainda não havia confirmação de que o óbito pode ser atribuído à bactéria. A vítima tinha trabalhado em uma empresa em Frankfurt onde vários casos da infecção foram constatados, mas estava há semanas em Hamburgo.

Technischer Hinweis: Aufnahme mit Fisheye-Objektiv +++ Die Medizinisch-Technische Assistentin (MTA) Brigitte Weiss zeigt am Dienstag (24.05.11) in Hamburg im mikrobiologischen Labor des Universitaetsklinikums Eppendorf (UKE) eine EHEC-Bakterienkultur. Das Darmbakterium EHEC (Enterohaemorrhagischer E. coli), das schweren Durchfall, Erbrechen und Nierenschaedigungen verursacht, grassiert derzeit in Hamburg, Schleswig-Holstein, Niedersachsen und Mecklenburg-Vorpommern. (zu dapd-Text) Foto: Philipp Guelland/dapd

Bactéria resiste a antibióticos

Biólogos do Hospital Universitário de Münster, no oeste do país, afirmaram que identificaram a linhagem da bactéria como a variante "0104H4", uma mutação pouco frequente da bactéria Escherichia coli (E. Coli) e resistente a diversos antibióticos. "Entretanto, temos que que analisar se existem outras mutações que a fazem tão perigosa e que possam ser a causa de sua agressividade", afirmou Helge Karch, diretor do Instituto de Higiene da clínica.

Três mortos e mais de 200 doentes

Até agora, ocorreram na Alemanha três mortes atestadamente em decorrência da EHEC. Uma mulher de 83 anos morreu no sábado no estado da Baixa Saxônia e uma de 89 anos, em Schleswig-Holstein. Na madrugada de terça-feira, uma mulher de 24 anos morreu em Bremen. Segundo o renomado Instituto Robert Koch, em todo o país já existem, desde a segunda semana de maio, 214 casos confirmados na Alemanha de infecções pela EHEC. A maioria deles no norte do país.

Nesta quinta-feira, foram confirmados os primeiros casos de infecção em países escandinavos. Um porta-voz do Ministério da Saúde dinamarquês confirmou um caso, sem disponibilizar mais informações sobre o paciente, e disse que há outros 10 pacientes com suspeita de terem contraído a doença. A maioria deles vem de uma passagem pela Alemanha.

Suécia, Reino Unido e Holanda


As autoridades sanitárias da Suécia também confirmaram cerca de 10 suspeitas de infecções pela EHEC no país, sem especificarem o número exato de casos, e alertam seus cidadãos para terem cuidado e evitarem consumir verduras e legumes crus em viagens à Alemanha. Os doentes teriam sido contaminados após visitarem o país.

Segundo o porta-voz de John Dalli, comissário de Saúde da UE, existem também casos suspeitos no Reino Unido e na Holanda em pacientes que estiveram recentemente na Alemanha.

MD/afp/dpa/ap
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais