1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Constança é a única cidade alemã onde já foi eleito um papa

Constança, no estado de Baden-Württemberg, no sul da Alemanha, é a maior cidade nos arredores do Lago de Constança. A localidade oferece mais do que belas paisagens. Histórias da Igreja Católica podem ser ouvidas por lá.

A estátua Imperia, símbolo da cidade de Constança, faz referência à época em que a Igreja Católica tentou resolver o assim chamado cisma papal: o Concílio de Constança foi convocado para dar fim à divisão da Igreja Lá foi eleito o papa Martinho 5º.

No vídeo abaixo, o historiador Ralf Seuffert conta como, entre 1414 e 1418, uma cidade de apenas 5 mil habitantes passou a abrigar 35 mil pessoas, em consequência dos encontros eclesiásticos. "Era gente de todo tipo e de todas as profissões, incluindo 700 damas da profissão mais antiga do mundo", comenta.

Assistir ao vídeo 05:20

Faça um passeio por Constança

Ilhas, igrejas e castelos

Constança também é um bom lugar para velejar ou andar de bicicleta. Uma ótima opção é a Ilha de Reichenau, cujas três igrejas da época românica são patrimônio cultural da humanidade. "Elas oferecem uma visão muito interessante da arquitetura dos mosteiros da Alta Idade Média", conta a guia turística Andrea Ehestaedt-Huber.

BdT, Bodensee, im Trockenen steht am Mittwoch das berühmte Pfahlbaumuseum in Unteruhldingen

Palafitas da Idade da Pedra e do Bronze reconstruídas

Além disso, a ilha possui a Igreja de São Jorge, do século 9º, a catedral e a Igreja de São Pedro e São Paulo, todas merecedoras de uma visita.

Outra ilha do Lago de Constança é Mainau, que na primavera atrai os turistas com suas mais de 1 milhão de flores. O castelo da ilha é habitado por uma família de nobres até os dias de hoje. Outra atração turística são os assentamentos sobre palafitas das idades da Pedra e do Bronze, reconstruídos com base em estudos científicos.

Na ilha de Wasserburg, no prédio que abrigava o tribunal local, é possível visitar uma cela do século 17, onde eram mantidas as mulheres acusadas de bruxaria.

Autora: Mabel Gundlach (br)
Revisão: Augusto Valente

Áudios e vídeos relacionados