1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Conselho Europeu pressiona por dados de passageiros aéreos

Após ataque terrorista em Paris, presidente Donald Tusk defende que países-membros compartilhem informações para "detectar trânsito de pessoas perigosas".

O ataque ao semanário satírico parisiense Charlie Hebdo chama a atenção para a necessidade de os países europeus compartilharem informações sobre passageiros de companhias aéreas, afirmou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, nesta sexta-feira (09/01).

Tusk disse a repórteres que pressionará o Parlamento Europeu na semana que vem para que trabalhe na proposta, que permitiria que polícia e serviços de inteligência tivessem acesso a informações sobre passageiros voando de e para a Europa, reunidos ao longo de vários anos.

EU-Ratsvorsitzender Donald Tusk in Lettland 9.1.2015

Tusk: "A UE não pode fazer tudo, mas pode se concentrar em reforçar a segurança"

"Eu espero que isso possa ajudar a detectar o trânsito de pessoas perigosas", disse Tusk.

A Comissão Europeia, que é o braço executivo da União Europeia (UE), propôs a medida como uma ferramenta para ajudar a combater o terrorismo e crimes graves, mas o Comitê de Liberdade Civil do Parlamento Europeu a vetou por considerar que violaria a privacidade dos passageiros.

Segundo Tusk, líderes da UE colocarão o ataque desta semana em Paris no topo da agenda do encontro do próximo dia 12 de janeiro. O polonês, que falou com o presidente francês, François Hollande, após o massacre no jornal, disse ter decidido usar a próxima cúpula em Bruxelas para "discutir mais amplamente a resposta que a UE pode dar a esses desafios".

"O terror golpeou a Europa, mais uma vez. A UE não pode fazer tudo, mas pode se concentrar em reforçar a segurança", disse Tusk.

LPF/ap/rtr

Leia mais