1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Conselho de Segurança da ONU condena atentados em Damasco

Órgão mais poderoso das Nações Unidas reitera que os dois lados devem acabar com a violência e seguir o plano de paz elaborado pelo emissário Kofi Annan. Ataques deixaram 55 mortos e 372 feridos na capital síria.

Os 15 países que compõem o Conselho de Segurança das Nações Unidas condenaram com veemência os ataques terroristas que abalaram a capital da Síria, Damasco, nesta quinta-feira (11/05), e apelaram para a imediata implementação do plano de paz de seis pontos concebido pelo emissário da ONU e da Liga Árabe, Kofi Annan.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, também condenou com veemência os ataques, bem como os EUA. "Toda a violência que culmina no massacre de civis deve ser condenada e nada a justifica", declarou a porta-voz do Departamento de Estado, Victoria Nuland, em comunicado, apelando à execução do plano de Annan para evitar que a violência aumente ainda mais.

Já o ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, sugeriu que os atentados foram planejados fora da Síria. "Ao menos alguns dos nossos parceiros estão ações práticas destinadas a detonar a situação na Síria, tanto no sentido literal como figurado da palavra", declarou em Pequim.

Além dos 55 mortos, os dois ataques desta quinta-feira deixaram 372 feridos. Eles ocorreram um dia depois de um ataque a um comboio da ONU.

O governo sírio afirmou que os ataques são um sinal de que terroristas comandados por potências estrangeiras estão agindo na Síria e pediu ao Conselho de Segurança para que adote medidas "contra os países, grupos e agências de notícias que estão praticando e encorajando o terrorismo".

Imagens transmitidas pela televisão síria mostraram carros destruídos e queimados após os ataques, alguns deles ainda com restos mortais das vítimas.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos, um grupo de monitoramento baseado em Londres, disse que as explosões ocorreram numa base para serviços de inteligência, acrescentando que uma das explosões foi de um carro-bomba. A TV estatal, por sua vez, noticiou que as duas explosões foram de carros-bomba.

FL/afp/ap/rtr/lusa
Revisão: Alexandre Schossler