1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Conjuntura européia continuará fraca no início de 2002

Mas há indícios de lenta recuperação, segundo presidente do Banco Central Europeu.

default

Solbes (centro) conversa com Duisenberg (direita)

O crescimento econômico da zona do euro continuará reduzido, mas tudo indica que o fundo do poço já foi atingido e que a recuperação, embora lenta, começará dentro de alguns meses. Os riscos de inflação são moderados, afirmou o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Wim Duisenberg, após reunião da diretoria da instituição, em Frankfurt, a primeira depois da introdução do euro.

O BCE manteve a taxa básica de juros em 3,25% para os 12 países da zona do euro. A decisão não constituiu nenhuma surpresa, pois o banco havia dito anteriormente que os juros estavam em nível apropriado para reativar a economia. Os analistas consideram, entretanto, que a fraca conjuntura pressionará o BCE a baixar os juros em fevereiro ou, no mais tardar, até março.

Sucesso gigantesco - A introdução do euro foi um "sucesso gigantesco", nas palavras de Wim Duisenberg. Este foi "um dos passos mais importantes no sentido da integração européia", disse ele. Segundo o presidente do BCE, o início da circulação da moeda única entrará nos livros de história como o começo de uma nova era na Europa.

Também Pedro Solbes, comissário da UE para Questões Monetárias, expressou seu contentamento com a introdução do euro. Foi "melhor do que se esperava", disse ele, garantindo que até meados de janeiro todos os 12 países da zona do euro estarão acostumados com a nova moeda.

O ministro espanhol das Finanças, Rodrigo Rato, cujo governo assumiu no início do ano a presidência da União Européia, disse que os cidadãos da Eurolândia, ao receberem com tanto entusiasmo a nova moeda, estão pedindo aos seus líderes políticos para prosseguirem no caminho da unidade européia.

197.500 caixas automáticos - De acordo com os cálculos mais recentes, 96% dos 197.500 caixas automáticos existentes nos 12 países da zona do euro já estão operando com a nova moeda. Na Alemanha, Grécia, Áustria, Holanda, Irlanda, Bélgica e Luxemburgo este índice chega a 100%. O país menos preparado é no momento a Itália, onde 85% dos caixas automáticos estão fornecendo euros.