Conheça o ″couchsurfing″, uma opção fácil e econômica de viajar | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 08.11.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Conheça o "couchsurfing", uma opção fácil e econômica de viajar

Couchsurfing é uma rede que conecta, através da internet, viajantes com a população de mais de 230 países e territórios. Se você escolheu Berlim como destino, por exemplo, poderá pernoitar em mais de mil domicílios.

default

Mais de 1 milhão de pessoas praticam o 'couchsurfing'

Supondo que você irá tirar férias na semana que vem e decidiu ir para a Alemanha. No roteiro, estão cidades como Berlim, Munique e Colônia. Mas, onde se hospedar? Hotéis e pousadas não faltam nessas cidades, são inúmeras as opções. Mas se você tem espírito aventureiro, quer fazer novas amizades, conhecer a cultura local de um povo e ouvir boas histórias, bem vindo ao Couchsurfing (CS), uma maneira mais fácil e econômica que os internautas descobriram para viajar.

Criado em 2004, o Couchsurfing é uma organização internacional sem fins lucrativos que conecta o viajante com a população do local que o turista pretende visitar. Atualmente o site da organização conta com 1,5 milhão de pessoas cadastradas.

"Navegando nos sofás"

Couchsurfing

Membros da organização encontram hospedagem em mais de 200 países

Basta acessar o site www.couchsurfing.org, fazer o cadastro gratuitamente, escolher uma cidade de qualquer país, e começar a "navegar nos sofás". Se você escolheu Berlim, terá como opção mais de mil domicílios, cujos moradores da capital alemã colocam à disposição do viajante um sofá na sala de estar, para o turista passar uma ou mais noites. E o que é melhor, sem precisar pagar estadia.

Navegando no site, você terá acesso aos dados pessoais da pessoa que irá hospedá-lo, além de fotos e depoimentos de outros turistas que já se hospedaram na casa do anfitrião.

Abrindo a porta de casa

O internauta que deseja, por exemplo, passar um final de semana em Colônia, poderá se hospedar na residência do estudante Tobias Bering, de 22 anos. Acessando o perfil do usuário, você terá acesso aos depoimentos de outras pessoas que, algum dia, já dormiram no sofá dele.

"Faço parte da comunidade CS há apenas 11 meses, e já recebi na minha casa 18 internautas do Couchsurfing. Desde pequeno, viajo bastante e em casa sempre recebemos convidados", diz o estudante de enfermagem, de Colônia.

Como membro do Couchsurfing, o internauta não é obrigado a hospedar um turista, mas pode recebê-lo em sua casa para um café, por exemplo. Para isso, basta clicar na alternativa, dentro do site: "Tomar um café".

Da Espanha para outros países

A viajante espanhola Beatriz González, de 27 anos, é filiada ao CS há cerca de um ano e meio. Até o momento, ainda hospedou ninguém em sua residência, em Madri. Para a jovem, primeiro é importante conhecer as pessoas, para depois abrir a porta de casa e ceder um sofá. "Sinto-me um pouco insegura de hospedar alguém que não conheço. Moro sozinha em Madri. Só entra na minha casa gente de confiança, quem realmente eu conheço", disse a espanhola.

Beatriz González, que está em viagem pela Alemanha há dois meses, participa dos encontros do CS, que ocorre todas as quintas-feiras à noite em um bar no centro de Colônia. "Para mim, o CS é mais um intercambio cultural do que apenas um hotel gratuito. CS é compartilhar experiências e conhecer novas pessoas", ressaltou.

Beatriz conta que apenas uma vez dormiu em um sofá na cidade de Colônia. "Foi no primeiro encontro do CS do qual participei. Fui para conhecer pessoas e ficamos conversando até tarde, no bar. Quando vi, já havia passado o horário do ultimo trem para a cidade onde moro, que fica há cerca de uma hora e meia de Colônia. Então, liguei para um dos meus amigos do CS e perguntei se tinha um sofá de emergência. A resposta foi sim, e acabei pernoitando uma noite na cidade. Com isso, economizei cerca de 100 euros", relatou a espanhola, que agora pretende "navegar nos sofás" da Noruega, Dinamarca, Suíça e República Tcheca.

Autor: Luciano Nagel
Revisão: Carlos Albuquerque

Leia mais