Conheça a atriz que é o novo rosto da Alemanha lá fora | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 29.07.2008
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Conheça a atriz que é o novo rosto da Alemanha lá fora

Depois que ela fez o papel da secretária de Hitler em "A Queda", todos querem filmar com Alexandra Maria Lara, estrela do novo filme de Francis Ford Coppola. Seu sucesso lá fora, no entanto, não se repete na Alemanha.

default

Alexandra Maria Lara no novo filme de Coppola

Nascida em Bucareste, em 1978, Alexandra Maria Lara fugiu com seus pais do regime de Ceausescu quando tinha 4 anos. Criada em Berlim, Alexandra Maria Platareanu mudou seu nome para Lara em homenagem à amante de Omar Sharif em Dr. Jivago.

No cinema, ela foi descoberta pela diretora alemã Dorris Dörrie, no filme Nu, em 2002. Dois anos mais tarde, no papel de Traudl Junge, a secretária de Hitler em A Queda, chegava sua hora da estrela. A partir de então, os convites para filmar com renomados diretores internacionais não pararam mais de chegar.

Alexandra Maria Lara, a menina com olhos de gazela, é considerada hoje a grande promessa alemã para Hollywood. A imprensa de seu país, no entanto, não divide a mesma opinião dos famosos diretores.

Choveram convites internacionais

Deutschland Alexandra Maria Lara als Hitlers Sekretärin Filmszene

Alexandra Maria Lara em 'A Queda': 'olhos de gazela'

Incentivada pelo pai, o ator Valentin Platareanu, que chegou a ser vice-diretor do Teatro Nacional na Romênia de Ceausescu, a atual namorada do ator britânico Sam Riley começou sua carreira em séries de televisão alemã aos 11 anos de idade. Ao desfilar no tapete vermelho de Hollywood ao lado do ator Bruno Ganz, que fez o papel de Hitler em A Queda, candidato ao melhor filme estrangeiro no Oscar de 2005, não somente Coppola deixou-se encantar por seus talentos.

Desde então, choveram convites internacionais. Somente no ano passado, Maria Lara atuou no novo filme do diretor americano Spike Lee, Miracle at St. Anna (Milagre de Santa Ana); na produção britânica Controle, do holandês Anton Corbijn sobre a vida do vocalista Ian Curtis; em The Dust of Time (Poeira do Tempo), do grego Theo Angelopoulos; e no novo filme de James Ivory, City of Your Final Destination (Cidade do Seu Destino Final).

Além de sua participação no júri do Festival de Cannes de 2007, seu desfile no tapete vermelho hollywoodiano também lhe valeu o convite para estrelar o novo filme de Francis Ford Coppola, diretor de O Poderoso Chefão (1972) e Apocalypse Now (1979), Youth without Youth (Juventude sem Juventude).

Eterna gazela

Kinostarts - Control

Maria Lara em 'Controle', sobre a vida de Ian Curtis

Apesar de dizer que adora filmar em seu país, Alexandra Maria Lara não participou de nenhuma produção alemã no ano passado. Com tanto trabalho, ela recusou o convite de Tom Cruise para participar de seu novo filme rodado na Alemanha, Operação Valquíria, onde deveria novamente fazer um papel de uma secretária. E esta é a grande crítica da imprensa alemã sobre o trabalho da jovem atriz: ela desempenha sempre o mesmo papel.

Em todos os seus filmes, afirmou o diário Die Welt, Maria Lara olha sempre com "aqueles olhos de gazela", acrescendo que o talento da atriz seria "simplesmente superestimado".

Críticos de cinema a condenam por repetir sempre a mesma personagem, tanto em comédias quanto em dramas: a menina aparentemente inocente e um pouco retraída, mas também um pouco ousada.

Escolha dos papéis adequados

Não faltam, evidentemente, comparações com a atriz norte-americana Audrey Hepburn, outra gazela, comentou o jornal. Mas, então, o que vêem os diretores na promissora atriz alemã? Um grande talento, disse o colega Bruno Ganz.

Citando o diretor alemão Helmut Dietl, o Die Welt afirmou que o futuro de Alexandra Maria Lara dependeria agora da escolha dos papéis adequados, o que seria o segundo ponto fraco da atriz, além de seu parcimonioso vocabulário expressivo.

Segundo o diário, Alexandra Maria Lara trabalharia com grandes diretores, mas não necessariamente em filmes significativos. Isto valeria tanto para o filme que fez recentemente com Coppola, fracasso de bilheteria nos EUA, como também para o filme onde Dietl a dirigiu, em 2005, Como Procurar e Encontrar o Amor.

Leia mais