1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Congresso dos EUA aprova acordo para orçamento de 1,1 trilhão de dólares

Legisladores americanos aprovam a medida a poucos dias prazo, evitando nova paralisação administrativa. Em troca, republicanos negociaram o relaxamento de acordos ambientais e de comércio.

Os líderes do Congresso americano aprovaram nesta quarta-feira (10/12), a poucos dias do final do prazo, um orçamento de 1,1 trilhão de dólares para financiar o Governo até setembro de 2015, evitando assim a possibilidade de uma nova paralisação administrativa, como a que

ocorreu em 2013

.

O acordo sobre o orçamento segue para votação na Câmara dos Representantes nesta quinta-feira. "Esse projeto de lei nos permitirá cumprir nosso dever constitucional e evitar uma paralisação administrativa", comemorou o presidente da Comissão de Orçamento da Câmara dos Representantes, Hal Rogers.

Os termos do acordo de 1,1 trilhão de dólares, firmado entre os governistas e a oposição, mantêm as despesas domésticas de 2015 praticamente inalteradas, além de acrescentar recursos para a luta contra os militantes do "Estado Islâmico" no Iraque e na Síria e para o combate a epidemia do vírus ebola na África Ocidental.

O valor deverá suprir todas as agências governamentais até setembro de 2015, exceto a da Segurança Interna, que terá seus recursos estendidos apenas até o dia 27 de fevereiro. A exceção deverá dar ao Partido Republicano maior influência sobre a implementação das novas políticas sobre a

imigração

, anunciadas recentemente pelo presidente Barack Obama.

No próximo ano, quando os republicanos assumirem o

controle

da Câmara dos Representantes e do Senado, a oposição planeja aprovar restrições, bloqueando fundos do governo destinados ao plano do presidente de regularizar a situação de milhões de imigrantes ilegais no EUA.

Um dos aspectos mais controversos do projeto de lei sobre o orçamento foi o acordo sobre uma medida que permite a indivíduos ricos fazer doações significativamente maiores aos partidos políticos.

Além disso, foi firmado um acordo para limitar novas regulamentações sobre as transações de derivados, realizadas por grandes bancos. O projeto de lei inclui também um corte de 60 milhões de dólares no orçamento da Agência de Proteção ao Meio Ambiente (EPA) e medidas para "controlar os excessos reguladores" por parte do governo.

RC/rtr/afp/ap