1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Conflitos levam a aumento de 24% nos pedidos de asilo em 2014

Relatório da ONU diz que guerra na Síria pode levar número de refugiados neste ano a bater recorde de duas décadas. Em apenas seis meses, mais de 330 mil pessoas de países em guerra buscaram abrigo longe de casa.

Um relatório divulgado pela ONU nesta sexta-feira (26/09) revelou que os conflitos no Iraque e, principalmente, na Síria, podem levar o número de pedidos de asilo em países industrializados a bater um recorde de 20 anos em 2014.

Dados mostram que, na primeira metade deste ano, o número de refugiados que buscaram abrigo em 44 países da América do Norte, na Europa e no Pacífico Asiático subiu 24% com relação ao mesmo período no ano passado, chegando a 330.700.

Se a tendência de crescimento continuar no mesmo ritmo, até o fim do ano o volume de solicitações poderá chegar a 700 mil, alertou o alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, Antonio Guterres, nesta sexta-feira (26/09). A última vez que a organização registrou índice tão alto foi nos anos 1990, em consequência dos conflitos na antiga Iugoslávia.

"A comunidade internacional precisa preparar suas populações para o fato de que, na ausência de solução para o conflito [da Síria], cada vez mais pessoas precisarão de refúgio e cuidado nos próximos meses e anos", declarou Guterres em Genebra. "Estamos em uma era de crescentes conflitos."

Sírios são maioria

De acordo com o relatório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), a Síria responde por 15% dos pedidos de asilo. Apesar de muitos sírios fugirem para o norte e o oeste da Europa, a maioria acaba buscando abrigo em países vizinhos. Em seguida aparecem afegãos, iraquianos e eritreus como os povos que mais deixaram suas casas para escapar de conflitos.

Massenflucht aus Syrien in die Türkei

Maior parte dos refugiados sírios busca abrigo em países vizinhos, como Turquia e Líbano

Entre os 44 países para os quais os refugiados se dirigiram, a Alemanha foi o que mais recebeu pedidos (65.700, cerca de 20% do total), seguida por Estados Unidos, França, Suécia, Turquia e Itália. Juntos, esses seis países atendem dois terços das solicitações, segundo a Acnur.

O sul da Europa registrou ainda um grande aumento de desembarque de refugiados em seus territórios, com migrantes de vários países africanos e do Oriente Médio cruzando o Mediterrâneo para chegar à costa italiana. A ONU ressalta que, em muitos casos, a viagem termina em tragédia: o número de mortos neste ano em viagens mal sucedidas já chega a 3 mil.

As Nações Unidas apontam ainda para um aumento do número de iraquianos e afegãos em fuga para a Turquia. O Japão contabilizou um aumento de mais de um terço de solicitações de asilo, enquanto os números praticamente dobraram na Coreia do Sul.

Os chineses foram os que mais buscaram asilo nos Estados Unidos, que ainda registrou um aumento de pedidos de mexicanos e migrantes da América Central – principalmente El Salvador, Guatemala e Hinduras – fugindo do crime organizado e da violência em seus países de origem.

Os reflexos da deflagração do conflito na Ucrânia também apareceram no relatório da Acnur. O país registrou o maior aumento relativo no número de refugiados, que subiu de 700 no primeiro semestre de 2013 para 4.100 neste ano – cifra quase seis vezes maior. Os principais destinos dos pedidos dos ucranianos são Polônia, Estados Unidos e Itália.

MSB/dpa/rtr/epd

Leia mais