1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Confirmado assassinato de refém alemão no Afeganistão

A autópsia do alemão que morreu refém no Afeganistão revelou que ele foi assassinado com dois tiros por seus seqüestradores, e não morreu em decorrência de esgotamento durante o seqüestro, como cogitado inicialmente.

default

A autópsia foi feita pelo Instituto de Medicina Legal em Colônia

O laudo da autópsia divulgado nesta quinta-feira (02/08) pelo Ministério das Relações Exteriores da Alemanha revelou que Rüdiger D., de 43 anos, desmaiou por queda de pressão e em seguida foi executado pelos seqüestradores. O alemão foi seqüestrado dia 18 de julho no Afeganistão, e seu corpo foi encontrado quatro dias depois.

O resultado da autópsia causou indignação ao ministro das Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier (SPD). "As últimas horas do falecido foram um martírio. Seus seqüestradores o conduziram a uma morte terrível, deram fim a sua vida de uma forma criminosa", pronunciou-se ele durante viagem à cidade africana de Accra, em Gana. "Este crime não pode permanecer impune."

Primeiro refém alemão assassinado desde 2000

Deutsche Geisel in Afghanistan ermordet

A ambulância transportou o corpo do engenheiro de província de Wardak, onde ele foi encontrado, até Cabul

Rüdiger D. é o primeiro alemão assassinado num seqüestro fora do país desde 2000. Inicialmente, suspeitava-se que o engenheiro poderia ter morrido em decorrência de um infarto, pelo esforço extremo na marcha forçada pelas montanhas do Afeganistão.

O laudo da autópsia, realizada pelo Instituto de Medicina Legal em Colônia – onde o corpo chegou em 25 de julho – confirmou que esgotamento levou o alemão a um colapso circulatório, o que não foi, entretanto, a causa do morte, deixando-o apenas inconsciente.

"Depois do colapso foram dados dois tiros na vítima ainda viva", comunicou Martin Jäger, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores. "Só depois de sua morte é que ainda foram dados os outros quatro tiros sobre seu corpo."

Colega continua seqüestrado

Haus in Kabul, in dem eine der deutschen Geiseln gewohnt haben soll

Suspeita-se que um dos reféns alemães tenha ficado nesta casa nos primeiros dias do seqüestro

O engenheiro de construção de Teterow, em Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, foi seqüestrado na província de Wardak com seu colega Rudolf B., que permanece sob poder dos seqüestradores.

O governo alemão continua empenhado nas negociações para libertar Rudolf B. Nesta terça-feira (31/07), a emissora árabe Al Jazeera exibiu um vídeo gravado pelos seqüestradores, que mostra o alemão sob mira de armas de homens encapuzados numa região montanhosa.

O grupo de seqüestradores tem precedentes criminosos e ligação com o Talibã. Sob poder do Talibã no Afeganistão está também um grupo de 21 sul-coreanos que foram seqüestrados no dia 19 de julho. Dois sul-coreanos foram assassinados. (jc)

Leia mais