Comunidade internacional promete ajuda bilionária ao Afeganistão | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 05.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Comunidade internacional promete ajuda bilionária ao Afeganistão

Conferência internacional em Bruxelas garante repasse de 15,2 bilhões de dólares ao país. Recursos serão destinados para o fortalecimento de instituições, a redução da pobreza e o combate ao terrorismo.

Presidente Ghani com chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

Presidente Ghani com chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

A comunidade internacional prometeu nesta quarta-feira (04/10) 15,2 bilhões de dólares para ajudar o governo do Afeganistão nos próximos quatro anos. O montante será destinado para fortalecer as instituições do país, reduzir a pobreza e combater o terrorismo.

O anúncio foi feito pelo comissário europeu para o Desenvolvimento e Cooperação Internacional, Neven Mimica, no final de uma conferência que tratou do tema e reuniu em Bruxelas 75 países e 26 organizações internacionais. "As promessas [de doação] ultrapassaram nossos melhores cenários", ressaltou Mimica.

Sem a ajuda internacional, o governo afegão é capaz arcar somente com 20% de seu orçamento anual. Há 15 anos, desde a intervenção dos Estados Unidos e da Otan no país, Cabul depende deste reforço financeiro.

"Alguns disseram que haveria fadiga entre os doadores, mas o resultado foi impressionante", avaliou a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini. O bloco prometeu contribuir com 5,6 bilhões de dólares. "Nosso projeto comum se converteu em programas para melhorar a vida das pessoas", acrescentou.

A comunidade internacional reafirmou o compromisso de manter os níveis das doações até 2020. O valor alcançado foi ligeiramente inferior ao montante prometido na conferência de Tóquio, em 2012, quando 16 bilhões de dólares foram arrecadados para o país e repassados entre 2012 e 2015.

A conferência contou com a participação do secretário de Estado americano, John Kerry, que pediu aos talibãs no Afeganistão para selarem uma paz "honrada" com as autoridades de Cabul, para garantir a reconstrução do país, em guerra há décadas.

"É um dia notável", disse o presidente afegão Ashraf Ghani, reafirmando o compromisso para combater a corrupção, a fim de alcançar a liberação dos recursos prometidos ao país.

CN/efe/lusa/ap

Leia mais