1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Compra da Siemens VDO põe Continental no "top five" mundial

Negócio de 11,4 bilhões de euros consolida a Continental como uma das principais fabricantes de autopeças do mundo. Sindicatos temem que incorporação de uma das áreas mais lucrativas da Siemens resulte em demissões.

default

Siemens VDO é especialistas em sistemas de navegação e injeção eletrônica para motores

A Siemens vendeu nesta quarta-feira (26/07) a fabricante de autopeças VDO para a Continental por 11,4 bilhões de euros. Com a incorporação da VDO e seus 50 mil empregados, a Continental se tornou uma das cinco maiores fornecedoras de peças para automóveis do mundo. Juntas, Continental e Siemens VDO empregam 140 mil pessoas em todo o mundo e faturam anualmente cerca de 25 bilhões de euros.

A Continental iniciou nos anos 1990 seu processo de transformação de fabricante de pneus para fornecedora completa de autopeças. No final de 2004, a empresa de Hannover adquiriu a Phoenix, de Hamburgo, por cerca de meio bilhão de euros. Em 2006, gastou mais 830 milhões de euros na incorporação da área de eletrônica automotiva da Motorola, entrando de forma definitiva no setor de telemática.

Por muito tempo, a própria Continental, tida como uma empresa relativamente pequena, era vista como uma candidata a ser adquirida por uma das gigantes do setor. Com a compra da Siemens VDO, esse perigo parece estar de vez afastado.

Reestruturação da Siemens

A VDO é especialista em sistemas de navegação para automóveis. É, também, considerada uma empresa inovadora no desenvolvimento de injeção eletrônica para motores.

Mitarbeiter von Siemens VDO in Stollberg

Temor de demissões entre os funcionários da VDO

A empresa produz ainda sistemas de freios, bombas de combustível, displays e sensores para airbags, entre inúmeros outros produtos. No ano passado, faturou mais de 10 bilhões de euros, com lucro operacional de 669 milhões de euros, o que a classifica entre os setores mais lucrativos da Siemens.

A venda da VDO faz parte do processo de reestruturação da Siemens, que pretende se dedicar aos setores de energia e meio ambiente, médico-hospitalar e industrial. Dentro dessa filosofia faz parte a anunciada aquisição da empresa norte americana Dade Behring, do setor de equipamentos médicos, por 5,1 bilhões de euros.

Críticas e elogios

As maiores críticas à transação vieram do sindicato IG Metall, que teme o corte de até 7 mil empregos com a venda da VDO pela Siemens. "Temo que iremos viver mais um desastre", afirmou o presidente do sindicato na Baviera, Werner Neugebauer.

O temor não foi afastado pelo presidente da Continental, Manfred Wennemer, que disse apenas não haver planos concretos para a diminuição no número de funcionários, mas que é certo que, com a aquisição, virá o processo de reestruturação da empresa.

Já o governo federal alemão saudou o negócio. Por meio de um porta-voz, a chanceler federal Angela Merkel disse que a aquisição da VDO pela Continental "fortalece a Alemanha como fabricante automotivo. Não houve influência política na incorporação". Os governos da Baviera e da Baixa Saxônia também saudaram a transação. (as)

Leia mais

Da série Made in Germany