1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Competência feminina na escola

Estudo comparativo aponta vantagem das meninas durante aprendizado no primário. Em matérias como Alemão e Estudos Sociais, meninos se mostram menos capazes nas escolas alemãs.

default

Diferenças entre os sexos também aparecem na escola

Conforme resultado da análise internacional comparativa de leitura em escolas primárias (Iglu), desde os primeiros anos escolares, as meninas já demonstram mais aptidão para certas áreas. O coordenador do estudo na Alemanha, Wilfried Bos, esclarece que, apesar das mesmas condições em sala de aula, há diferenças na hora de comparar as notas entre alunos e alunas. "O que parece ser um clichê, foi comprovado, agora, pelo levantamento", ressalta Bos.

Interesse na hora de ler

Kinder lesen Plattdeutsches Buch in Flensburg

Meninas têm mais prazer com a leitura

As diferenças de aproveitamento no aprendizado do alemão, por exemplo, não podem ser entendidas como resultado de apenas um fator. "As meninas se divertem mais através da leitura e passam mais tempo ocupadas lendo histórias em revistas, enquanto os meninos preferem revistas em quadrinho, manuais ou legendas de filmes", explica.

Segundo Bos, a leitura de jornais é equivalente para ambos os sexos. Mesmo assim, "os meninos não são somente ruins na leitura, mas são também preguiçosos quando escrevem", afirma. "Evidentemente, devido ao bom comportamento ou às melhores notas, as meninas são mais recompensadas", acrescenta.

Entre os fatores que levam ao melhor desempenho de escolares do sexo feminino em aulas de alemão está a escolha do material utilizado pelos professores. "Talvez, os textos que são lidos não correspondem aos interesses de alunos de dez anos de idade", critica.

Satisfação com a escola

Sprachförderung für Kinder mit geringen Deutschkenntnissen

Estudo aponta que alunas gostam mais de ir à escola do que meninos

No total, segundo o estudo comparativo, as meninas se mostram mais satisfeitas com sua escola. A partir de um levantamento com 3,8 mil estudantes de ambos os sexos, 45% das estudantes gostam de ir à escola, enquanto 32% dos estudantes têm vontade de acordar cedo para estudar.

Em relação aos professores alemães do ensino primário, o Iglu apontou uma satisfação geral com o ambiente de trabalho. Mais felizes são os profissionais da Suécia, Grécia e Holanda. "O problema é a falta de cooperação dos alunos", alerta Wilfried Bos. Para ele, a situação precisa ser mudada.

Estatística

A pesquisa, apresentada nesta semana em Dortmund, contou com a participação de 35 países. A Alemanha ficou em 11º lugar. Bos confirmou que um novo estudo deverá acontecer no próximo ano, com mais de 40 nações envolvidas. Somente em território alemão, 400 escolas serão avaliadas nos 16 Estados, totalizando cerca de nove mil alunos. Os primeiros resultados serão divulgados no fim de 2007.

Leia mais