Companhias aéreas alemãs revogam regra de duas pessoas na cabine | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 28.04.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Companhias aéreas alemãs revogam regra de duas pessoas na cabine

Dois anos depois da tragédia com o avião da Germanwings, Federação da Indústria de Aviação Alemã avalia que medida não traz benefícios à segurança. Piloto poderá ficar sozinho em cabine novamente a partir de junho.

Deutschkurse | Nicos Weg | A1_E0_L2_stock_pilot_965068 (colourbox.de)

Piloto poderá ficar sozinho em cabine a partir de junho

Desde a tragédia da Germanwings, há dois anos, tornou-se obrigatório para as companhias aéreas alemães ter sempre duas pessoas na cabine de um avião comercial. Esta regra foi revogada nesta sexta-feira (28/04), informou a agência de notícias alemã dpa. A decisão foi justificada pela constatação de que tal medida não é capaz de aumentar a segurança.

De acordo com a nova determinação, o piloto poderá ficar sozinho na cabine novamente a partir de 1º de junho. "A avaliação mostrou que a regra de duas pessoas não traz nenhum benefício à segurança", justificou a Federação da Indústria de Aviação Alemã (BDL) em Berlim.

A organização chamou atenção ainda para o fato de que a regra aumenta a frequência com que a porta da cabine é aberta, o que elevaria o risco da entrada de pessoal não autorizado. Sindicatos de pilotos e comissários de bordo já haviam se mostrado céticos quando aos benefícios da medida.

As companhias aéreas, no entanto, asseguram que os médicos passarão a ser mais cautelosos nos exames psicológicos e psiquiátricos dos pilotos e copilotos. Também foram prometidos empregos estáveis, acesso ao seguro invalidez, programas de aconselhamento psicológico e um apoio de pessoal mais intensivo.

As investigações sobre a tragédia com o avião da Germanwings, em março de 2015, concluíram que o copiloto Andreas Lubitz, então com 27 anos, sofria de depressão. Ele teria aproveitado a ausência momentânea do piloto para bloquear a porta de acesso à cabine e deliberadamente derrubar a aeronave contra os alpes franceses. Todas as 150 pessoas a bordo morreram.

IP/dpa/ots

Leia mais