1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Como se tornar uma árvore

Sepultamentos que transformam restos mortais em plantas crescem em número de adeptos na Alemanha. Para muitos, trata-se de uma forma de retribuir à natureza pela vida.

Que árvore você gostaria de ser: um carvalho, um bordo vermelho ou uma castanheira? Na Alemanha cada vez mais pessoas se fazem essa pergunta, e não em tom de brincadeira, afirma Roger Moliné. Ele é o fundador da empresa Urnabios, especializada em urnas funerárias que se transformam em árvores. Dentro do recipiente biodegradável são colocadas sementes sobre as cinzas humanas. Em poucos anos, brota uma nova vida a partir dos restos mortais.

Moliné já vendeu aproximadamente 20 mil de suas urnas biodegradáveis. Segundo ele, a maioria das pessoas escolhe virar um bordo vermelho – árvore da folha estampada na bandeira do Canadá.

Sepultamentos orgânicos, como são chamados, estão em alta na Alemanha. E para aqueles que acham radical demais transformar-se em uma árvore, também há a possibilidade de apenas ser enterrado sob uma: só na Alemanha há mais de 300 florestas destinadas a enterros naturais.

Bildergalerie Bestattungsarten

Sem cruz, mas uma placa com nome: a variante sutil de memória em um cemitério florestal

Descanso na floresta

Enterros alternativos são uma tendência, confirma Jana Giess, do mais antigo estabelecimento a realizar sepultamentos naturais na Alemanha, FriedWald. Cerca de 54 mil pessoas estão enterradas em florestas alemãs, e outras 135 mil já planejaram seus funerais arbóreos com antecedência.

"O ar livre, as árvores, o balançar das folhas, a cantoria dos pássaros. Para muitos isso é reconfortante. São momentos que tendem não ser 'vivenciados' num cemitério tradicional", afirma Giess.

Segundo ela, muitos dos que deixam suas cinzas serem enterradas em florestas são amantes da natureza: donos de cães, pessoas que gostavam de fazer trilhas ou passavam bastante tempo nas florestas. Mas também há aqueles que simplesmente veem um cemitério comum como um lugar angustiante.

As florestas destinadas aos enterros naturais não possuem cruzes. Elas são substituídas por uma discreta placa com o nome da pessoa pregado na árvore. Caso o falecido queira permanecer anônimo, o túmulo é imperceptível.

Kompostierbare Urnen

Árvore nasce de uma urna biodegradável a partir de restos mortais

Mas não significa que quem escolhe o sepultamento natural seja necessariamente ateu – muitos dos enterros foram acompanhados por rituais cristãos, conta Giess.

Diferente dos cemitérios tradicionais, onde os familiares colocam flores sobre as sepulturas, nas florestas de descanso tudo deve permanecer o mais natural possível. Há musgos, samambaias e flores silvestres. E o fato de os familiares não serem obrigados a cuidar das sepulturas por décadas é outro argumento favorável ao sepultamento natural.

Retribuir à natureza

Mas questões práticas e amor pela natureza não são tudo, garante Hannah Rumble. A antropóloga britânica pesquisou por vários anos por que há pessoas que optam por um enterro natural em florestas. Segundo a pesquisadora, elas não estão pensando somente em si mesmas, mas também no meio ambiente. Trata-se de dar à natureza algo em retribuição pela vida.

"Como o corpo não está embalsamado, as covas são mais rasas e os caixões, biodegradáveis, o corpo se transforma numa espécie de fonte de vida nova. O processo de decomposição deixa de ser algo nojento, mas simplesmente a origem de uma nova vida, de terra ou árvores. Isso reconforta imensamente as pessoas", explica a antropóloga.

De certa forma é como se a vida fosse estendida. Em vez de enxergar vida e morte como opostos, pessoas que querem ser enterradas na natureza encaram a vida e a morte como algo contínuo, explica Rumble. "Tudo passa a fazer parte do ciclo da vida."

Leia mais