1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Como fazer carreira na política alemã

Como tornar-se um deputado federal na Alemanha? Quem faz carreira política em Berlim? Quais são os passos imprescindíveis para o êxito na vida pública?

default

Chanceler Gerhard Schröder testa o novo Porsche: mordomias são a atração da vida política

Os políticos têm um futuro assegurado e gozam de muitos privilégios, as chamadas mordomias. Esta imagem é válida em quase todos os países, também na Alemanha. Mas como tornar-se um deles? Que talentos são indispensáveis? E que formação profissional é a mais indicada para se lograr uma bem sucedida carreira parlamentar na Alemanha?

Segundo a Spiegel Online, o essencial é um planejamento de vida a partir do colégio. Somente quem tem a persistência de seguir à risca um caminho traçado como adolescente é que pode assegurar-se uma chance razoável na vida pública alemã. São poucos os políticos que chegaram ao Parlamento por caminhos diferentes, ajudados pela sorte ou pelo acaso. E quem busca desde cedo a carreira política tem de arcar com um enorme risco: a imprevisível vontade do eleitorado.

Formação acadêmica

A política tornou-se, há muito, uma atividade profissional na Alemanha. Cerca de 30% dos atuais 603 deputados ao Bundestag, o Parlamento federal da Alemanha, são políticos de carreira. Embora tenham em geral uma formação acadêmica – 75% têm diploma universitário –, eles já iniciaram sua carreira política como estudante ou até mesmo como colegiais.

Toda a formação profissional da maioria dos políticos foi planejada, desde o início, para a carreira política. O estudo universitário é visto apenas como um complemento curricular, que freqüentemente não visa mais que demonstrar competência aos eleitores.

Só os profissionais persistentes e ambiciosos são capazes de impor-se na dura competição da vida política. Isto vale até mesmo para os parlamentares de menor expressão, que na Alemanha são chamados de "deputados dos bancos de trás" ( Hinterbänkler). Mas as mordomias são gozadas por todos – dos grandes líderes políticos aos parlamentares que só são conhecidos em seus distritos eleitorais.

Começo de carreira

A maioria dos carreiristas começa a vida pública como ativista juvenil nos partidos políticos. Quem demonstra talento e tem uma atuação bem sucedida, tem boa chance de tornar-se assessor direto de um deputado ou alto funcionário de partido político. E este é o principal trampolim para uma carreira política própria.

Independente de tal apadrinhamento, a ambição pessoal do jovem carreirista é fundamental para galgar os postos. Desde o início, ele tem de candidatar-se a postos eletivos – seja na representação estudantil da universidade, no diretório local do partido ou em grêmios da administração municipal. Com isto, afirma a Spiegel Online, ele cria seus próprios contatos e também se assegura contra o risco de que seu padrinho político não venha a reeleger-se.

A carreira política exige também, via de regra, muita paciência e perseverança. Freqüentemente, o engajamento nos trabalhos do partido começa já no final da adolescência. Mas a idade média para o início da carreira é de 24 anos. O caminho até o Parlamento federal tarda, no mínimo, seis a oito anos e depende também de muita sorte. A maioria não consegue atingir o objetivo final, permanecendo na política municipal ou estadual.

Presença universitária

O estudo universitário também pode ser um grande fomento para a carreira política. Principalmente, se o jovem carreirista estudar numa universidade berlinense. Até a capital ser transferida para Berlim, este papel – de fonte de recrutamento dos assessores de deputados – era desempenhado pela Universidade de Bonn.

Hoje, já não existe mais o chamado "monopólio dos juristas" no Bundestag. Ainda assim, cerca de 35% dos assessores de deputados são advogados ou estudantes de Direito. Além disto, 27% são estudantes ou diplomados em História. Estão também cada vez mais presentes nos escritórios parlamentares os estudantes de Ciências Políticas.

Leia mais

Links externos