1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Comissão Europeia tenta elevar controle sobre indústria alimentícia

Comissário de Saúde apresenta pacote de medidas para evitar que escândalos como o da carne de cavalo se repitam. Entre as principais ações previstas, mais visitas-surpresa a fábricas de alimentos no bloco europeu.

Em reação ao escândalo da carne de cavalo vendida como bovina, a Comissão Europeia apresentou nesta segunda-feira (06/05) propostas para intensificar o controle sobre a indústria alimentícia. Entre as medidas apresentadas pelo comissário de Saúde e Defesa do Consumidor, Tonio Borg, está o aumento das inspeções surpresas e multas mais pesadas em casos de rotulagem falsa.

A proposta de Borg estabelece que governos realizem uma quantidade mínima de inspeções sem o aviso prévio em indústrias de alimentos. O controle analisaria se o conteúdo dos produtos é o mesmo descrito nas embalagens. Além disso, a multa em casos comprovados de violação deverá ser equivalente aos lucros conseguidos pela empresa com o produto fraudado.

"O crime não deve compensar, mas, se as penas forem baixas, acabam compensando", afirmou Borg.

A venda de sementes também entrou na pauta das propostas. Atualmente, sementes vendidas na Europa precisam ser registradas oficialmente. Para isso, os produtores devem comprovar a distinção, a uniformidade e a estabilidade da espécie. Borg pretende diminuir essa burocracia para criadores de espécies antigas e raras, como, por exemplo, as cultivadas somente em determinada região.

Para essas sementes, testes não seriam mais necessários, e imposições determinando o local e a quantidade onde essas espécies poderiam ser plantadas deixariam de existir. O registro continua valendo para espécies tradicionais, mas os custos diminuiriam e os testes não seriam mais obrigatórios.

A proposta também isenta o pagamento do registro de pequenos produtores, que contam com até dez funcionários e um faturamento de no máximo dois milhões de euros. "O cultivo com finalidade privada não precisará seguir o regulamento europeu sobre o uso de sementes", esclareceu Borg.

Críticas a medidas

Para críticos, a proposta poderá acarretar mais custos e mais burocracia, dificultando o trabalho de pequenos produtores. Além disso, ela pode prejudicar a diversidade biológica de algumas espécies, pois sementes raras e regionais costumam ser cultivadas em pequena escala.

"A proposta da Comissão Europeia é um tapa na cara de todos os produtores que há anos se preocupam com a diversidade de espécies na lavoura e no cultivo de legumes e frutas", disse o integrante do Parlamento europeu Martin Häusling, do Partido Verde alemão.

Saatgut von Bockshornklee-Sprossen Fenugreek Samen

Proposta isenta de registro sementes de espécies antigas e raras

Para entrarem em vigor, as propostas ainda precisam aprovadas pelos Estados-membros da União Europeia e pelo Parlamento europeu.

Carne de cavalo foi encontrada em diversos produtos congelados vendidos em vários países europeus e rotulados como carne bovina. O escândalo eclodiu em janeiro, quando carne equina foi encontrada em hambúrgueres vendidos em supermercados no Reino Unido e na Irlanda. Em março, foi constato cavalo em produtos vendidos em França, Suécia e Alemanha.

Investigações apontaram que a carne era vendida para fabricantes franceses que importam de países do Leste Europeu, como a Romênia. Além disso, após testes laboratoriais, autoridades sanitárias constaram que em determinados produtos havia carne de cavalo tratados com a droga fenilbutazona, que pode oferecer riscos à saúde humana.

CN/rtr/afp/dpa

Leia mais